Boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgado nesta quarta-feira (16) trouxe um dado alarmante para Mato Grosso do Sul. A semana epidemiológica 45, referente 6 a 12 de novembro, traz um aumento de casos não visto desde junho.

Conforme o documento, a SE 45 teve 606 novos casos prováveis de dengue, um aumento de 165 registros em comparação com SE 44. Esse é o maior número registrado desde a SE 23, que teve 850 casos.

Durante todo o ano, MS já registrou 23.826 casos e está com 848,1 de incidência. São Gabriel do Oeste tem a pior incidência do Estado (6.484,0), que leva em questão a relação entre o número de caso (1.765) e a população (27.221).

Campo Grande, até o momento, registrou 8.230 casos possíveis de Dengue. Além disso, o Estado tem 57 municípios com alta incidência epidemiológica.

Já são, também, 21 mortes pela doença em MS em 2022. O novo óbito incluído no boletim é de uma mulher, de 21 anos, em Miranda. Ela morreu no dia 9 de novembro e não tinha nenhuma comorbidade relatada.

Mutirão da Dengue

A SES, em parceria com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) de Campo Grande e o Ministério da Saúde, realiza nesta quinta-feira (17), às 9 horas, o ‘Dia D’ de Combate ao Aedes aegypti, no Parque Olímpico Ayrton Senna, no bairro Aero Rancho.

A ação tem como objetivo chamar atenção da população quanto a Dengue, Zika e Chikungunya. Segundo o secretário de Estado de Saúde, Flávio Britto, a população precisa estar atenta quanto as arboviroses.

“É preciso que todos nós reservemos pelo menos, 15 minutos, para cuidar da nossa casa, dos nossos quintais. Toda a comunidade precisa estar engajada, 80% dos reservatórios do mosquito estão na nossa casa. Não deixe água parada, o período das chuvas retornou e nós precisamos ficar mais atentos. Infelizmente, a Dengue continua fazendo vítimas no nosso Estado”, disse.

Como combater o mosquito da Dengue?

O combate ao mosquito Aedes aegypti é de extrema importância. Além da Dengue, o mosquito também é responsável pela transmissão de duas graves enfermidades: a Zika e a Febre do Chikungunya.

Para controlar a proliferação do mosquito é preciso evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris de água, caixas d’agua; acondicionar pneus em locais cobertos; remover galhos e folhas de calhas; não deixar água acumulada sobre a laje; encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana e fazer sempre a manutenção de piscinas.

Além disso, é importante trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana; colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas; fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais; manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo; tampar ralos; catar sacos plásticos e lixo do quintal, entre outras medidas que impeçam o acúmulo de água e de sujeiras.