MS tem 100% das amostras de covid positivo para variante Ômicron, aponta Saúde

Variante Ômicron apareceu nas 94 amostras colhidas desde o início do ano e analisadas
| 08/02/2022
- 13:52
MS tem 100% das amostras de covid positivo para variante Ômicron, aponta Saúde
Divulgação

Mato Grosso do Sul está com 100% dos casos de covid como sendo da variante Ômicron, segundo informou ao Midiamax o secretário de Saúde, Geraldo Resende. O dado foi confirmado por infectologistas, que estiveram no estado neste fim de semana e também nessa segunda-feira (7).

“Estes infectologistas renomados estiveram aqui conosco e analisaram 94 amostras, colhidas em Mato Grosso do Sul, nos meses de dezembro e janeiro. Eles inclusive levaram o restante para análise em e vão fazer um trabalho semelhante em Goiás também”, afirmou Resende. 

De acordo com o secretário, amostras anteriores foram enviadas ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, porém, houve atraso na entrega do resultado. Já estas amostras foram recebidas entre os dias 4 e 8 de fevereiro de 2022, com coletas de pacientes de oito municípios, sendo eles: Inocência (6), Rio Brilhante (13), Vicentina (1), Campo Grande (41), Três Lagoas (26), (4), Selvíria (1) e Nova Alvorada (2).

“Tem amostras enviadas em julho e que ainda não tivemos resposta. É por isso que foi muito importante a presença destes profissionais aqui e agora podemos discutir um panorama, com 100% dos casos de covid como sendo da Ômicron”, ressaltou.

Até a última sexta-feira (4) a Secretaria Estadual de Saúde (SES) aguardava o posicionamento sobre a análise de amostras, porém, também não recebeu os resultados. 

Variante Ômicron ainda não atingiu pico no Brasil, alerta ministro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o Brasil ainda não chegou ao pico da nova onda da covid-19 causada pela variante Ômicron. No Brasil há cerca de dois meses, a nova cepa registrou, no fim de janeiro, 300 mil casos diários de infecções do coronavírus. "Analisando a última semana epidemiológica do país, tivemos aumento de casos causado pela covid-19 e ainda não chegamos no pico da onda causada pela Ômicron. O enfrentamento contra a doença continua", avaliou Queiroga nesse sábado (5), pelo Twitter.

Ainda segundo o ministro da Saúde, a pasta monitora a pressão sobre o sistema de saúde e a ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI). "Há espaço para abertura de novos leitos e estamos apoiando os Estados sempre que necessário. A atenção primária também tem sido reforçada", ressaltou.

Na mesma postagem, Marcelo Queiroga enfatizou a importância da vacinação para que os casos tenham sintomas mais leves. "Se você ainda não tomou a segunda dose e a dose de reforço, não esqueça de completar seu esquema vacinal”, alertou.

Capital paulista detecta primeiro caso da BA.2, sublinhagem da Ômicron

A Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo confirmou, no início desta semana, o primeiro caso da BA.2, uma sublinhagem da variante Ômicron, que é considerada ainda mais transmissível que esta e tornou-se dominante em diversos países, como Dinamarca e Índia. Até o momento, não há indicações de que a BA.2 seja mais grave que as outras variantes.

[Colocar ALT]
Crédito: Agência Brasil

A sublinhagem BA.2 foi identificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no dia 7 de dezembro e tem cerca de 40 mutações em relação à variante Ômicron BA.1.

Segundo a secretaria, o paciente é um homem de 22 anos, do município de Santo André, que foi atendido em uma unidade de saúde na capital. Ele recebeu duas doses da vacina contra a covid-19, mas ainda não está apto a receber a dose de reforço.

Ele disse que está com sintomas leves e que ficou em isolamento domiciliar assim que os sintomas se iniciaram. Nenhum parente do homem adoeceu, e ele informou não ter viajado.

Até este momento, o monitoramento genômico que é feito pela prefeitura com base em amostras tem mostrado que 100% dos casos positivos na cidade de São Paulo são referentes à variante Ômicron.

 

Veja também

Vagas do estágio são para acadêmicos a partir do 2º semestre

Últimas notícias