Mofo se multiplica com chuvas em MS e manchas podem causar problemas de saúde

Com umidade alta, mofos podem ser prejudiciais à saúde; saiba como combater
| 10/04/2022
- 09:00
surgimento de mofos
Imagem ilustrativa. - (Foto: Reprodução/Prismatic)

A chuva já se tornou parte do dia a dia dos sul-mato-grossenses nos últimos meses. Os avisos de tempestades do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) são rotineiros e atingem dezenas de municípios semanalmente, aumentando a umidade do ar e trazendo à tona um problema muitas vezes esquecido: mofo.

De acordo com a docente do Mestrado em Sustentável da Uniderp, Dra. Bianca Obes Corrêa, esses organismos possuem alta capacidade de multiplicação rápida, “muitas vezes uma pequena mancha, em 48 horas, passa a ser uma mancha maior que se alastra rapidamente em ambientes com pouca ventilação, luminosidade e alta umidade”, comentou.

Embora responsáveis por ferir a estética de qualquer parede, também podem potencializar problemas respiratórios. Segundo o médico otorrinolaringologista e coordenador do curso de medicina da Uniderp, Alexandre Cury, o mofo é responsável por intensificar crises nas vias aéreas superiores e inferiores. “É um fator que pode desencadear situações alérgicas como renite, crise de asma e bronquite. Já estamos em um tempo mais frio e o mofo se torna um fator adicional”, explicou o profissional.

Cury comenta que a principal arma contra o mofo é a limpeza do ambiente, mas em casos onde não é possível fugir ou acabar com o problema, como em ambientes de trabalho, alguns cuidados podem ajudar no combate aos prejuízos causados. Uma rotina saudável com boa alimentação e limpeza das narinas é essencial.

O otorrinolaringologista explica que um corpo saudável é essencial para evitar ou combater doenças respiratórias e a limpeza das narinas pode anular os efeitos prejudiciais do mofo. “A pessoa pode utilizar o soro fisiológico para a limpeza. É indicado que use uma seringa e ‘pingue’ o soro no nariz”, exemplificou.

Limpeza para barrar o surgimento de mofos

Como frisado por Cury, a limpeza do ambiente é a principal forma de combater o acúmulo de mofo no ambiente. Ainda assim, muitas vezes, o problema passa despercebido no começo e se torna um incômodo após se espalhar por boa parte das paredes.

Cristina Camargo, conviveu com o problema e vivenciou a dificuldade de lidar com ele. Empresária, Cristina deixa sua casa fechada por longas horas, o que ocasionou a proliferação de mofo nas paredes. “Com essa temporada de chuva, uma das paredes do quarto da minha filha começou a mofar. Fizemos ajustes no cômodo e combatemos o bolor com alguns produtos que temos em casa”, contou.

Com isso, a empresária utilizou produtos baratos e encontrados em mercados e atacadistas diversos do município para combater o problema. Confira algumas dicas:

Vinagre branco

Coloque uma boa quantidade de vinagre branco em um borrifador. Depois, borrife-o sobre a superfície mofada e deixe por uma hora. Limpe a área com água e deixe secar. “Precisa ser vinagre puro, se acrescentar água ele não tem o mesmo efeito”, diz Cristina.

Bicarbonato de sódio

Adicione ¼ de bicarbonato para cada xícara de água em um borrifador e use a solução para remover o bolor e o mofo. Para deixar a dica mais potente, misture o bicarbonato com uma parte de vinagre branco e uma parte de água. Mexa a mistura até que se torne uma pasta grossa. Espalhe-a na superfície e deixe secar. Esfregue o mofo e as manchas pretas e limpe com água.

Água sanitária

Prepare uma solução de 100 ml de água sanitária para cada litro de água. Deixe a solução agir por 30 minutos e depois retire-a com um pano limpo ou esponja.

“Neste caso, é bom avaliar se o local resiste à ação da água sanitária para não estragar os móveis ou desbotar a pintura de paredes”, explica Cristina.

A Dra. Bianca Obes Corrêa comenta que técnicas caseiras como vinagre, bicarbonato e água sanitária funcionam como desinfestantes e são eficientes. Mas é preciso prestar atenção na ressurgência desses fungos. “Caso se apresentem em fase reprodutiva, liberando os esporos, que na maioria das vezes são muito leves e facilita a sua disseminação ou até mesmo a sua dormência, eles voltam a aparecer em paredes, em armários, roupeiros, no banheiro, novos locais para crescimento e disseminação”, explicou.

A especialista comenta ser importante manter a limpeza de locais onde mofos são encontrados e até mesmo em locais onde não há ocorrência de fungos, para evitar seu aparecimento. Para isso, as receitas caseiras citadas acima são de grande valor.

Previsão do tempo para abril

A previsão de chuvas para o mês de abril indica precipitações abaixo da média em praticamente todo o Mato Grosso do Sul, com exceção de alguns municípios na região nordeste do Estado.

De acordo com informações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) — encaminhadas pelo Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e Clima) — a previsão é de chuvas entre 40 e 50% abaixo da média no Estado.

Os dados apontam que estão previstos acumulados entre 40 e 130 milímetros em abril.

A previsão estendida do , válida até dia 20 de abril, também descreve a quantidade de chuva esperada de acordo com a região. Para o primeiro período, que vai até o próximo dia 12 de abril, a probabilidade de acumulados de chuvas entre 5 e 125 milímetros. Os maiores acumulados de chuva estão previstos para a região sul e sudeste do MS, inclusive o extremo sul.

Já no segundo período, referente ao dia 12 a 20 de abril, o esperado de chuvas corresponde entre 10 a 60 milímetros, com destaque para a região extremo sul.

Veja também

Despesas totais do evento giram em torno de R$ 1 milhão

Últimas notícias