Sem obrigatoriedade: Para Marquinhos, só resta 'orar muito' por crianças não vacinadas

Apesar de importante, vacinação em menores de idade depende de autorização do responsável
| 20/02/2022
- 22:58
Sem obrigatoriedade: Para Marquinhos, só resta 'orar muito' por crianças não vacinadas
Foto: Ranziel Oliveira

Prefeito Maquinhos Trad (PSD) comentou sobre a vacinação infantil em Campo Grande, neste domingo (20), durante o evento Know How Experience, onde foi apresentado o projeto do Parque Tecnológico e de Inovação da Capital

Segundo ele, polarizar e politizar a vacinação, traz insegurança para a população. "Estamos fazendo tudo possível, colocando postos de vacinação em todos os lugares, abrindo aos sábados e domingos, mas está crescendo os números de crianças internadas que chegam a óbitos através desse maldito vírus", disse. 

Para Marquinhos, já que não se pode punir os pais e responsáveis por não vacinar suas crianças, apenas a oração é o que resta. "Não vejo consequência negativa em se vacinar, mas o livre arbítrio é dos pais. Não tem como punir os pais que não levam para vacinar, porque não é obrigatório. Aos que não quiseram se vacinar, a gente ora muito para que não sofram com isso [vírus]", comentou o prefeito. 

Obras na Ernesto Geisel 

Conforme Trad, como as obras dependem de verba federal, o fato de Bolsonaro mandar rever todos os contratos acabou atrasando a execução. "A empresa que estava responsável, voltou para estado de origem. Não havendo recursos federal, não temos condições. Se tivesse [condições], a gente daria os 35% dos professores", citou o chefe do Executivo Municipal, que enfrenta impasse sobre o reajuste dos profissionais da educação. 

Veja também

São três vagas imediatas mais cadastro de reserva

Últimas notícias