Há 1 ano, erosão quase 'engoliu' casa de moradora em Nova Andradina

No início deste mês, a prefeitura encerrou as obras de manutenção da erosão e segue para pavimentação
| 20/02/2022
- 12:48
À esquerda
À esquerda, local com reparo feito, e à direita a situação em 2021. - (Foto: Divulgação/Prefeitura de Nova Andradina/Jornal A Nova)

Há um ano, moradores dos bairros Argemiro Ortega e Cristo Rei em Nova Andradina, a 300 quilômetros de Campo Grande, temiam que as casas fossem ‘engolidas’ pela enorme erosão que abriu na região após o intenso volume de chuva. No dia 11 de fevereiro deste ano, finalmente, a manutenção do buraco foi encerrada e agora segue para pavimentação das ruas.

Para se ter uma ideia do tamanho da tragédia, até o Governo Federal decretou situação de emergência devido à violenta erosão. Segundo a prefeitura municipal, já foram concluídas as obras de reconstituição do sistema de , recuperação do solo, construção das lagoas de contenção das águas pluviais, plantio de grama nas suas margens e cercamento da área.

Ainda conforme o município, a obra segue para última etapa, a pavimentação asfáltica, que irá passar pela praça do Argemiro Ortega até a Avenida Eulenir de Lima, no Durval Andrade Filho, via antiga boiadeira. Foram destinados R$ 363 mil para execução de terraplanagem e nivelamento das vias.

O projeto da reconstrução implantou um lago artificial de contenção para evitar desmoronamento por conta do volume de chuvas e das águas pluviais da parte oeste da região central da cidade.

cratera erosao widelg - Há 1 ano, erosão quase 'engoliu' casa de moradora em Nova Andradina

Desastre anunciado

O município havia começado uma obra de drenagem em 2019, mas, ao longo do período de chuva, a erosão aumentava e os próprios moradores relatavam que uma “tragédia anunciada” poderia ocorrer com a falta de manutenção nos muros de contenção da cratera. Até que, no dia 4 de dezembro de 2020, a via cedeu na Rua Espírito Santo.

“Há anos nós estamos indo na prefeitura, conversando com as autoridades da cidade, e nos falaram que iam nos ajudar para que a erosão não chegasse até a nossa casa, que não era para nos preocupar. Mas não fizeram nada e aconteceu isso, minha casa está caindo”, disse uma moradora na época.

Devido ao alto risco de desmoronamento, os moradores tiveram que sair às presas das casas. A reportagem entrou em contato com a moradora, porém, por questões judiciais, preferiu não se manifestar sobre a situação atual da via. 

Atraso nas obras

Dois meses após o desastre, a chuva não dava trégua e atrasava a recuperação do local. Em fevereiro de 2021, o município havia informado que aguardava tempo firme para iniciar as obras.

Nesta semana, o Governo do Estado divulgou a destinação de R$ 2,5 milhões em obras de infraestrutura urbana no município. Com o recurso, estão previstos a drenagem de água pluvial e o combate à erosão. A empreiteira escolhida terá o prazo de 180 dias para concluir as obras, logo após ordem de serviço expedida pela (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos).

Veja também

Prefeitura de Campo Grande inicia novo trecho de obras na Rua Sete de Setembro, nesta...

Últimas notícias