Governo de MS já arrecadou mais de R$ 1 bilhão em ICMS em janeiro

Valor representa 9,6% do previsto para todo o ano
| 04/02/2022
- 16:20
Secretaria de Fazenda de MS
Imagem ilustrativa - (Foto: Arquivo/Midiamax)

já arrecadou, no primeiro mês do ano, mais de R$ 1 bilhão em (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços), indicam dados extraídos do Portal da Transparência do governo estadual. O valor representa 9.4% do previsto para o ano.

O valor total arrecado foi de R$ 1.088.642.443,67, sendo que o previsto para este ano é de R$ 11.503.547.200,00. O valor é menor do que o arrecado no mesmo período do ano passado, na época a arrecadação foi de R$ 1.139.670.512,98. Em 2020 o valor arrecadado no primeiro mês do ano foi de R$ 970.410.871,90.

Apesar do valor apresentado ser referente apenas ao mês de janeiro, é possível projetar, caso os números sigam iguais, uma arrecadação de R$ 13.063.709.324,04 ao final do ano, ou seja, um valor 12% a mais do projeto para 2022. Vale lembrar que os valores podem aumentar ou diminuir mês a mês.

Quando falamos nos valores do ano todo, Mato Grosso do Sul arrecadou R$ 9.651.498.954,57 em ICMS no de 2020, valor 3% maior do previsto anual que era de R$ 9.393.180.600,00. Já ao longo de todo o ano de 2021 foi arrecadado um total de R$ 12.197.216.974,67, cerca de 28% a mais do previsto anual que era de R$ 9.622.693.000,00.

O que é o ICMS?

ICMS é a sigla para Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação. Regulamentado pela Lei Kandir, é um tributo estadual e seus valores são definidos por cada Estado.

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços corresponde a 34% de toda a arrecadação estadual e é o principal tributo do governo de MS. Isso significa que dos R$ 17,6 bilhões previstos de receita este ano, R$ 6 bilhões serão referentes ao recolhimento do imposto.

Então, é um tributo que está presente em praticamente todos os produtos e serviços utilizados pelos cidadãos como gasolina, mercadorias em lojas e outros.

Veja também

Últimas notícias