Em janeiro, 171 servidores do HRMS foram afastados das atividades por covid

Hospital informou que afastamentos não atrapalham atendimentos
| 26/01/2022
- 16:21
Unidade é referencial no tratamento de Covid-19 em MS.
Unidade é referencial no tratamento de Covid-19 em MS. - (Foto: Divulgação/HRMS)

Referência no atendimento aos pacientes internados com no Estado desde o início da pandemia, o HRMS ( Regional de Mato Grosso do Sul) registrou o afastamento de 171 servidores que testaram positivo, somente no mês de janeiro deste ano, para permanecerem em quarentena até o fim dos sintomas.

O hospital ressaltou que neste ano os afastamentos são menores, duram cerca de 10 dias após o aparecimento dos sintomas e exame positivo para Covid-19 ou doenças respiratórias, como a influenza. “São afastamentos esporádicos e de setores diferenciados, que não atrapalham no remanejamento para cobrir os setores”, comunica a nota.

Já em Campo Grande, 145 servidores de UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) estavam afastados para ficar em quarentena por gripe ou covid, de 1 a 19 de janeiro. Quanto ao remanejamento de servidores, a informou que há unidades que ficam com equipes mais defasadas e, nesses locais, está realocando temporariamente os profissionais para garantir o atendimento de qualidade à população. “No caso das unidades de urgência e emergência (UPAs e CRSs), as escalas são divulgadas diariamente (site da prefeitura). Na Atenção Primária, o paciente tem acesso também ao quadro funcional diretamente na unidade”, comunica a nota.

Recorde de casos

Nesta quarta-feira (26), o Estado bateu um novo recorde de casos de covid, com a confirmação de mais 3.418 infectados com a doença. Só em Campo Grande são 1.530 positivos. A secretária adjunta da SES (Secretaria de Estado de Saúde), Crhistinne Maymone, informou durante a live semanal que a taxa móvel também continua evoluindo.

“No início do ano era de 104, e nós temos agora 1981 (casos na taxa móvel). Estamos quase batendo o nosso recorde histórico que foi no pico da pandemia em junho do ano passado quando tivemos a média móvel de 2.003 casos confirmados. Então é um sinal de alerta bastante expressivo. E os óbitos também dos últimos 21 boletins, nós estamos com 6,7 do dia 26 de janeiro”.

Atualmente, o Estado tem mais 7 mortes por Covid e ocupação crítica de leitos em todas as macrorregiões, são 247 pacientes internados, sendo 159 de leitos clínicos e 88 em UTI. No dia 12 de janeiro, havia 76 internações por Covid no Estado. Na Capital a taxa de ocupação é de 74%, 97% em Dourados, 76% em Corumbá, e 72% em Três Lagoas.

“Tanto a macro de Campo Grande, Dourados e Três Lagoas estão aumentando a sua taxa de ocupação global. Isso tem acontecido também em outros estados, e nós da Secretaria Estadual de Saúde temos feito esforços contínuos para aumentar o número de leitos”, afirmou Maymone.

Veja também

A concentração acontece no estacionamento da obra abandonada do Centro de Belas Artes, em Campo Grande

Últimas notícias