Dona de propriedade rural é autuada em R$ 50 mil por uso irregular de área protegida em MS

A mulher também foi notificada a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada e tomar medidas protetivas de urgência
| 04/02/2022
- 18:05
Os autos serão enviados para o Ministério Público para abertura de ação civil pública de reparação dos danos ambientais.
Os autos serão enviados para o Ministério Público para abertura de ação civil pública de reparação dos danos ambientais. - Divulgação/PMA

Em uma de suas ações de fiscalização, a PMA (Polícia Militar Ambiental) de localizou a supressão de vegetação de uma área protegida por lei como de preservação permanente no Distrito de Camisão, a 130,4 km de distância de Campo Grande.

O fato ocorreu na última quinta-feira (3) e faz parte do levantamento dos policiais militares nas propriedades rurais para encontrar as possíveis fontes dos problemas de turvamento das águas do córrego das Antas e de outros mananciais, especialmente nos Distritos de Piraputanga, Camisão e outras áreas. 

A proprietária da área havia gradeado, à margem da serra, vários pontos com processos erosivos pluviais dos tipos laminar, sulcos e voçorocas, provocando um grande carreamento do solo gradeado para dentro do leito do córrego das Antas, o qual tem suas nascentes abaixo do local gradeado e dentro da propriedade vistoriada.

A infratora, residente em Campo Grande, foi processada administrativamente e multada em R$ 50 mil. Além disso, a mulher também foi notificada a apresentar um Prada (Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada), junto ao órgão ambiental e tomar medidas protetivas de urgência.

Os autos serão enviados para o Ministério Público para abertura de ação civil pública de reparação dos danos ambientais. 

Veja também

Vacina está disponível em mais de 40 unidades de saúde

Últimas notícias