Covid ‘circula’ mais no frio e tem mesmos sintomas da gripe, só que população esqueceu da máscara

"Donas do próprio diagnóstico”, muitas pessoas acreditam estar somente com Influenza e sequer usam máscara ou então agendam o teste em uma unidade de saúde.
| 04/07/2022
- 10:08
Covid ‘circula’ mais no frio e tem mesmos sintomas da gripe, só que população esqueceu da máscara

A covid é uma síndrome respiratória assim como a gripe. Tosse, dor de garganta, coriza, congestão nasal e febre, por exemplo, são sintomas destas duas doenças e facilmente confundíveis. No entanto, “donas do próprio diagnóstico”, muitas pessoas acreditam estar somente com Influenza e sequer usam máscara ou então agendam o teste em uma unidade de saúde.

“Nesta época de inverno, temos uma maior incidência das doenças respiratórias, como gripes, resfriados, crises de rinite, de asma brônquica, mas, especialmente as infecções gripes e resfriados, tem sintomas comuns: garganta arranhando, nariz escorrendo, dor de cabeça, sensação de mal estar, corpo dolorido e febre baixa. Entretanto, mesmo no fim da pandemia, temos casos da variante Ômicron”, afirmou ao Jornal Midiamax o pneumologista Ronaldo Queiroz.

Segundo o especialista, no caso da variante, os sintomas são exatamente os mesmos da . “Começa com uma dorzinha de garganta, uma garganta raspando, uma tosse seca, dor de cabeça, dor nos olhos e nariz escorrendo, então, é absolutamente impossível você fazer o diagnóstico e ter exata noção do que está acometendo a sua saúde, se é uma gripe leve, um resfriado ou a variante Ômicron”, argumentou.

ronaldo perches - Covid ‘circula’ mais no frio e tem mesmos sintomas da gripe, só que população esqueceu da máscara
Médico pneumologista trata pacientes
com síndrome pós-covid.
Foto: Ronaldo Queiroz/Arquivo Pessoal

Neste caso, se a pessoa tiver estes sintomas, a primeira providência é fazer o auto isolamento. “Fica em para observar a evolução, pelo menos, nas primeiras 24 a 48 horas. Depois, procure uma unidade de saúde, pública ou particular, para fazer o teste da covid. É somente a pesquisa de antígenos ou swab nasal que vai dar um direcionamento para o paciente”, disse Queiroz.

Ainda conforme o médico, a variante Ômicron é bastante leve e não compromete os pulmões, “irritando” apenas as vias aéreas superiores.

“Precisa sim do isolamento mínimo e 7 dias e paciente procurar o atendimento médico. Estudos apontam que 95% dos pacientes tem evolução benigna, sem oxigênios, internações e UTI (Unidade de Terapia Intensiva), porém, 5% desenvolvem comprometimento pulmonar, podendo evoluir para trombose ou risco de trombose, portanto, o paciente com covid precisa de um tratamento e acompanhamento de especialista”, ressaltou.

Desta forma, o alerta permanece e especialistas ainda recomendam o uso de máscara. Em Campo Grande e em todo o Estado, por exemplo, é feita a recomendação do uso de máscara. Conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), em caso de dúvidas, a pessoa deve procurar uma unidade de saúde para fazer o teste ou entrar em contato com o serviço de Teleatendimento da Sesau, pelo número 2020-2170. O número inclusive é voltado para pacientes sintomáticos respiratórios.

Sintomas respiratórios e circulação do vírus é maior nesta época do ano, diz SES

Ao Jornal Midiamax a SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul) também comentou que, neste período do ano, a circulação de vírus é maior e os sintomas respiratórios, apresentados pela população, podem ser em decorrência da Covid-19, Influenza ou demais vírus respiratórios que circulam neste período mais frio.

Centro de testagem funciona até as 17h neste sábado (15)
Centro de testagem, em Campo Grande. Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

Por isso, o alerta da SES é para que, qualquer pessoa ao apresentar sintomas respiratórios como: tosse, coriza, obstrução nasal, dor de garganta, associados ou não a febre, dor de cabeça ou outros, procure a unidade de saúde mais próxima de sua residência para testagem rápida.

A SES ainda comentou que tem disponibilizado testes rápidos antígenos para Covid-19, suficientes para abastecimento de todas as unidades de saúde do Estado, para que o cidadão seja prontamente testado e assim seja possível diferenciar infecções respiratórias causadas pela covid ou não.

No caso da Influenza e outros vírus respiratórios, também são realizados, porém, seguindo critérios pré-estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Ou seja, são realizados em pacientes hospitalizados (SRAG) ou por amostragem em Unidades Sentinelas de Síndrome Gripal no estado (2 em Campo Grande, 1 Dourados, 1 Ponta Porã, 1 Três Lagoas e 1 Corumbá.)

Além disso, o alerta da secretaria é para que todos estejam com suas doses de vacina em dia, tanto da covid como da Influenza.

Veja também

Para avistar superlua, condições climáticas devem favorecer cenário da Lua de Esturjão

Últimas notícias