Coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (23) reuniu o superintendente do IBGE de Mato Grosso do Sul, Mario Frazeto, e o coordenador operacional do Censo de MS, Alex Uchôas. Segundo as informações, Mato Grosso do Sul está no 7º lugar no ranking dos estados brasileiros que ainda precisam finalizar o Censo 2022. Segundo a superintendência, a maior dificuldade encontrada este ano foi a falta de agentes recenseadores para fazerem o levantamento.

Segundo Mario, das 2.524 vagas abertas no Estado, apenas 1.497 foram preenchidas. Portanto, MS não conseguiu preencher acima de 60% das vagas totais para agentes. Isso se deu porque o Estado é 3º menor em desocupação no país, ou seja, grande parte das pessoas estão empregadas.

Nesse cenário, oito municípios estão próximos do encerramento da coleta de dados, enquanto outros 10 estão com menos de 50% da pesquisa realizada.

Os municípios mais preocupantes são: São Gabriel do Oeste, Ivinhema, Caarapó, Coronel Sapucaia, Macaraju, Nova Andradina, Jaraguari, Caracol, Ribas do Rio Pardo e Bonito. Forças-tarefas de outros municípios atuam para dar prosseguimento ao Censo. Além disso, será feito pedido de apoio às prefeituras das cidades.

Em relação aos municípios que estão na reta final da coleta, Sete Quedas é destaque no Censo 2022. Cidade já finalizou a pesquisa e está na fase de rescaldo. Portanto, quem não conseguiu responder ainda tem a chance de contribuir. As demais cidades que estão prestes a encerrar o levantamento são Brasilândia, Costa Rica, Taquarussu, Deodápolis, Fátima do Sul, Cassilândia e Vicentina.

Já Campo Grande segue em um bom ritmo de levantamento e a quantidade de pessoas respondendo. Apesar de ainda não ter finalizado, a pesquisa da cidade está numa situação boa.

Cacique Jasiel Marcelino |Foto: Marcos Ermínio, Midiamax
Cacique Jasiel Marcelino |Foto: Marcos Ermínio, Midiamax

Enquanto isso, o Censo 2022 no Pantanal do Estado está quase encerrado, bem como nas comunidades tradicionais e indígenas. É a primeira vez que formulário tem questionamentos específicos sobre essas populações e representantes celebram a boa adesão.

Foram 1,9 milhão de pessoas recenseadas e 820.812 domicílios pesquisados em todo o Mato Grosso do Sul até novembro. Mario Frazeto acredita que até 5 de dezembro devem fechar 90% do Censo em Mato Grosso do Sul.

Contratação de novos agentes

Foi publicada uma medida provisória de nº 1141 no Diário Oficial da União sobre contratação de agentes censitários. Agora, é permitida a contratação de MEI (Microempreendedores Individuais) e servidores aposentados em todo o país. Decisão tem objetivo de aumentar a mão de obra para finalizar as pesquisas.

A medida não altera o valor que é pago aos agentes, só amplia as possibilidades de quem pode se candidatar.

Não há número de vagas de recenseadores em Mato Grosso do Sul. “Vai variar conforme o município, mas talvez seja numa média de 500 vagas”, disse o superintendente do IBGE.

Pesquisa de campo será prorrogada (Foto: Agência IBGE)

Interessados devem ir até o posto de coleta do IBGE do município, fazer inscrição e participar do treinamento. Assim, é indicado ligar antes para saber se haverá vagas.

As pessoas também podem responder o Censo 2022 pela Internet. Mesmo com essa facilidade, menos de 1% da população sul-mato-grossense respondeu online. Mario disse que a dificuldade é encontrar as pessoas em casa, enquanto as demais ficam com medo de responder.

Dessa forma, vale ressaltar que todos os agentes recenseadores têm crachá com matrícula, QR Code e número 0800 721 8181 para verificar a procedência do servidor.

Resultados do Censo 2022

A superintendência do IBGE ainda ressaltou a importância das pessoas responderem à pesquisa. “O Censo subsidia informações para políticas públicas, por isso precisa reforçar o apoio da população”, comenta.

Assim, os resultados preliminares do Censo 2022 irão divulgar a quantidade de pessoas por município e divisão por sexo. Demais informações serão reveladas apenas em 2023.