Cufa fecha parcerias para levar serviços e entretenimento para favelas em Campo Grande

Parcerias foram fechadas para 2022
| 21/02/2022
- 19:20
Evento realizado com comunidades carentes pela Central Única das Favelas
Evento realizado com comunidades carentes pela Central Única das Favelas - (Foto: Divulgação / Cufa)

Para ajudar as comunidades carentes de Campo Grande em 2022, a Cufa (Central Única das Favelas) de fechou parcerias com a (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo) e a Defensoria Pública do Estado, por meio do Nudem (Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher).

A gestora da entidade na Capital, Leticia Polidorio, de 33 anos, explicou como funcionarão essas novas parcerias. “Além da parte social, a Cufa realiza festas para levar cultura e entretenimento às comunidades: Favela Show, Favela literário, Black Tal. Esse ano a Sectur irá ajudar com a parte da estrutura, banheiro, palco, iluminação e som”, disse ela.

No âmbito da defensoria, o objetivo é instruir as mulheres sobre os seus direitos e a violência doméstica. “O Nudem está escrevendo um projeto para as lideranças femininas das favelas de Campo Grande. O objetivo é ensinar essas mulheres a ficarem alertas a violência doméstica e maus-tratos. Vamos empoderar essas lideranças com seus direitos e seus lugares na sociedade”, disse ela.

Sobre a importância das parcerias, a gestora acredita que as medidas irão auxiliar para um futuro melhor para as comunidades. “É importante ter essa ligação com Secretaria de Cultura, pra conseguirmos chegar na periferia e realizar mais eventos. Com a defensoria, acreditamos que reunindo essas mulheres e dividindo nossas dores e dificuldades quanto mulher, podemos mudar a realidade. Existe um índice muito grande de violência e maus-tratos nas favelas.  Com essa semente nas lideranças femininas, acreditamos que colheremos bons frutos no futuro. Elas terão orientação e saberão ajudar aquelas que pedirem por socorro”, explicou.

Leticia Polidorio informou que a parceria com a Sectur é para todo o ano de 2022, e deve começar a partir do próximo evento organizado pela Cufa. Já o projeto da defensoria, deve ficar pronto no dia 31 de março. Iniciando com uma turma reduzida de 10 mulheres.

Veja também

Últimas notícias