Com apenas 30% da visão, Carlos encontrou na cozinha cura para depressão

Grato à esposa, ela investiu as economias na carreira do chefe
| 04/02/2022
- 19:40
Da cozinha de casa para a alta gastronomia.
Da cozinha de casa para a alta gastronomia. - (Foto: Divulgação/Leitor Midiamax)

Há cerca de 12 anos, José Carlos Augusto Pereira, 33, luta contra várias sequelas causadas pelo glaucoma, ele perdeu a visão do olho esquerdo e apenas enxerga 30% do outro, só não perdeu a luta para depressão por incentivo da esposa e a cura que encontrou na culinária. Recentemente, o casal inaugurou uma salgadeira na Avenida Júlio de Castilho, em Campo Grande.

De fato, incansavelmente as idas e vindas em clínicas e médicos deixaram a vontade de lutar de lado. O chefe já não tinha mais esperanças em recuperação, já que percebeu que uma doença desencadeava a outra. Além de ter que lidar com a saúde, José ficou desempregado, vendo as contas bater na porta.

“Era desesperador, eu já tinha perdido a esperança na vida. Fui diagnosticado com PTI (púrpura trombocitopênica idiopática), uma doença autoimune, uma válvula do coração parou e precisei passar por cirurgia. Foi quando recebi a notícia que só dois neurônios do meu olho direito estavam funcionando. Ou seja, para que eu queria viver?” questionou.

[Colocar ALT]
Jéssica e José Carlos enfrentaram as dificuldades. (Foto: Leitor Midiamax)

A esposa, Jéssica Oliveira Cavalheiro Pereira,29, não sabia o que fazer e já não tinham mais dinheiro, apenas seguiam com os tratamentos indicados. Na volta de uma consulta, ela viu uma oportunidade, não só de renda, mas para trazer o ânimo ao marido.

“Era horrível conviver e ver uma pessoa que você ama cair em depressão. Já estávamos há anos lutando contra a doenças físicas, mas a cada visita ao médico ele ficava depressivo. Eu vi uma placa e decidi entrar e ver. Tinha no bolso R$ 100, que iria pagar outro boleto, mas paguei a matrícula dele, nem dinheiro para as parcelas eu tinha, pensei ‘faço a matrícula e depois nos viramos’, e fechei”, conta.

No primeiro dia de aula a cor a rotina voltava, José passou a se dedicar diariamente. Ele até gostava de cozinhar em casa, mas nada comparado a cozinhar na alta gastronomia. “Eu não tenho palavras para descrever o que eu senti, por entrar em uma cozinha profissional. Foi um momento em que me desconectei, só era eu as facas e panelas. Minha maneira de pensar mudou muito”, disse.

A disposição é tanta que até no Masterchef Brasil, um dos maiores realitys de gastronomia, ele se inscrever. “Não sei o que vai dar na inscrição, mas eu estou me dedicando muito. A cozinha me salvou”.

O casal inaugurou o local com vendas de salgado chamado Trio Cafeteiro, na Avenida Júlio de Castilho, 5139.

Veja também

Conflitos entre indígenas e policiais por conta de reivindicação de terras acabou com a morte de um índio

Últimas notícias