‘Ansiedade, pânico e tremia muito’, diz psicóloga que atendeu servidora durante surto em escola de Campo Grande

Técnica adequada de valorização da vida foi fundamental e ela logo foi se acalmando, explica profissional
| 25/02/2022
- 14:55
Projeto de Valorização da Vida em escola de Campo Grande
Projeto de Valorização da Vida em escola de Campo Grande - Marcos Ermínio/Midiamax

Projeto que existe desde 2018, o “Valorização da Vida” percorre as escolas para conversar com servidores, de professores a diretoria, como método de prevenção a depressão e ao suicídio. E foi nessa quinta-feira (24), durante o surto de uma funcionária, da rede municipal de ensino, de Campo Grande, que ele mostrou o quanto é importante, fazendo ela se acalmar antes mesmo da chegada do Corpo de Bombeiros.

[Colocar ALT]
Técnicas do projeto ressaltam importância da técnica. 
Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax

Segundo a psicóloga técnica do Valorização da Vida, Lívia Ricardo Oliveira, a servidora estava tendo uma crise de “ansiedade, pânico e tremia muito” quando ela chegou na escola. “O caso dela teve repercussão ontem, porém, infelizmente, são muito mais comuns do que parece casos desse tipo. Eu percebi que ela estava tendo a crise na hora e a intenção era conduzir de uma forma para acabar com o gatilho”, explicou. 

No entanto, antes de chegar ao local, a psicóloga fala que foi fundamental o trabalho dos servidores treinados.

“Eles fizeram o trabalho de urgência ali e isso mostrou a importância desse projeto. Agora, além de atender Campo Grande, nós expandimos para mais 10 municípios do interior do Estado e todos eles têm uma base para fazer o atendimento, antes de acionarem socorro, por exemplo. É uma técnica adequada e relaxante que nós temos”, comentou. 

Prevenção antes das aulas

Antes do início do ano letivo, na rede estadual, a superintendente de Gestão e Normas da Valorização da Vida, Alelis Izabel de Oliveira Gomes, disse que está atuando com os servidores para ajudar na prevenção ao suicídio. 

“As equipes vão às escolas e fazemos rodas de conversa com esses servidores. Tivemos, somente no ano passado, cerca de 2,6 mil casos e seguimos um cronograma de atendimento. É essencial que os servidores estejam bem para poder atender bem aos alunos que estão retornando. Acredito que aqui é a única cidade do Brasil que tem este tipo de projeto”, argumentou. 

 

 

 

 

Veja também

A PMA (Polícia Militar Ambiental de São Gabriel do Oeste captura serpente em ferro velho...

Últimas notícias