Cotidiano

Sentiu reações adversas após a vacinação? Saiba como relatar para Anvisa pela plataforma VigiMed

Sistema aceita casos de suspeita de reações anormais de vacinas e remédios

Dândara Genelhú Publicado em 21/06/2021, às 15h07

Informações podem ajudar em estudos de medicamentos.
Informações podem ajudar em estudos de medicamentos. - Foto: Arquivo | Midiamax

Para melhorar a identificação de novos riscos e atualizar o perfil de segurança do produto, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) disponibiliza o VigiMed, uma plataforma para relato de pacientes. Cidadãos podem descrever reações adversas que tiveram após alguma vacinação ou uso de medicamento.

A Agência considera o relato como “um ato que pode preservar a saúde de milhares de pessoas”. Então, pede que quando houver alguma “suspeita, mesmo que não confirmada, de um problema associado a medicamento ou vacina”, que os brasileiros relatem na plataforma.

A plataforma é resultado de uma parceria com o UMC (Centro de Monitoramento de Uppsala, em português). Localizado na Suécia, desde 1978 o UMC é responsável pela operacionalização do PIMM (Programa Internacional de Monitoramento de Medicamentos da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Assim,a a Agência informa que a qualidade dos dados inseridos no VigiMed é fundamental para garantir a análise, feita pelas equipes técnicas especializadas da Anvisa. “Para isso, o cidadão deve identificar o produto e informar o fabricante e o número do lote”.

A suspeita do medicamento ter causado algum sintoma adverso já é suficiente para o relato, reforça a Agência. A Anvisa destaca que “a ideia é manter o monitoramento de modo a garantir que os benefícios do uso de medicamentos e vacinas sejam maiores que os riscos por eles causados”.

Jornal Midiamax