Cotidiano

Sem doses da Pfizer, vacinação contra Covid em grávidas é paralisada em Campo Grande

Ministério da Saúde prevê entregar novas doses nos próximos dias

Dândara Genelhú Publicado em 13/05/2021, às 14h31

Mais de 2,7 mil grávidas e puérperas já foram vacinadas em Campo Grande.
Mais de 2,7 mil grávidas e puérperas já foram vacinadas em Campo Grande. - Foto: Reprodução | Prefeitura de Campo Grande.

Nesta quinta-feira (13), Campo Grande interrompeu a imunização contra a Covid-19 em grávidas e puérperas. A paralisação foi causada pela falta de doses da Pfizer, imunizante usado para a vacinação neste grupo na Capital.

Segundo a recomendação do Ministério da Saúde, devem ser aplicadas nas gestantes e puérperas as vacinas Coronavac, do laboratório Sinovac, e a Comirnaty, do laboratório Pfizer. Assim, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que “neste momento não há estoque de nenhuma das duas doses em Campo Grande”.

Além disso, o grupo tem recebido mais doses da Pfizer, pois a Coronavac está escassa e as doses que chegam são usadas para completar a vacinação de pessoas com a segunda dose atrasada. No entanto, o Ministério da Saúde garantiu que nos próximos dias deve enviar novas unidades da Pfizer.

Na última quarta-feira (12), 628 mil doses da Pfizer chegaram ao Brasil. Então, o Ministério organiza a logística de entregas para os estados e municípios.

Até esta quinta-feira (13), foram aplicadas 2.793 doses destas vacinas. Foram 2.522 vacinadas com a Pfizer, enquanto 221 mulheres receberam a Coronavac. “Estes dados são relativos à vacinação de gestantes em qualquer idade gestacional e em puérperas até o 45º dia pós parto”, definiu a Sesau.

Jornal Midiamax