Cotidiano

Santa Casa realiza segunda captação de coração do ano e envia para transplante em SP

A OPO (Organização de Procura de Órgãos) da Santa Casa de Campo Grande, nesta quarta-feira (20), a segunda captação de órgãos e tecidos do mês. Após sofrer um AVE (Acidente Vascular Encefálico), um jovem paciente doou coração, rins e córneas. Essa também foi a segunda captação de coração em 2021. O coração foi encaminhado para […]

Karina Campos Publicado em 21/01/2021, às 17h48 - Atualizado às 17h56

(Foto: Divulgação/Santa Casa)
(Foto: Divulgação/Santa Casa) - (Foto: Divulgação/Santa Casa)

A OPO (Organização de Procura de Órgãos) da Santa Casa de Campo Grande, nesta quarta-feira (20), a segunda captação de órgãos e tecidos do mês. Após sofrer um AVE (Acidente Vascular Encefálico), um jovem paciente doou coração, rins e córneas. Essa também foi a segunda captação de coração em 2021.

O coração foi encaminhado para São Paulo, por uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira), para ser implantado em um paciente internado no Hospital Beneficência Portuguesa.

Já os rins, que possuem um tempo maior de isquemia, foram transportados no fim da tarde, também para o Estado de São Paulo, o que doados para mais dois pacientes que aguardavam na fila do transplante. As córneas foram captadas e disponibilizadas para o Banco de Olhos do hospital.

O paciente doador foi internado na Santa Casa com uma lesão do tipo hemorrágica e grave que fez com que ele evoluísse para morte encefálica. Desde o início da internação, os familiares foram acolhidos pela equipe da OPO para o esclarecimento de dúvidas sobre o prognóstico até a confirmação de morte encefálica e efetivação da autorização da doação.

“Nosso papel aqui também é de acolher os familiares, sendo transparentes sobre como está a evolução dos pacientes neurológicos graves. Essa abordagem é feita até que haja uma manifestação do interesse da família na doação dos órgãos e tecidos. Essa decisão é sempre baseada na história de cada paciente, dando continuidade ao gesto humanitário que tinham em vida”, afirmou o coordenador da OPO, Rodrigo Gomes.

Com as doações destas primeiras semanas de 2021, a unidade registrou a captação de dois corações, quatro rins e um fígado. “O gesto dessas famílias possibilitou que diversos pacientes deixassem a fila do transplante e agora têm a possiblidade de uma nova vida”, finaliza.

Jornal Midiamax