Reunião deve definir flexibilização maior ou fim do toque de recolher em Campo Grande

Decreto atual fica em vigor até o fim do mês, mas município precisa observar Prosseguir e indicativos da pandemia
| 13/08/2021
- 15:51
Reunião deve definir flexibilização maior ou fim do toque de recolher em Campo Grande
Atualmente, toque de recolher é da meia-noite às 5h. - Divulgação/GCM

O fim da restrição para a circulação de pessoas durante a noite pode estar próximo em Campo Grande. Uma reunião será realizada para definir se o município irá flexibilizar ou extinguir o toque de recolher. Atualmente, a Capital tem toque de recolher da meia-noite às 5 horas da madrugada. 

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) explicou, nesta sexta-feira (13), que uma reunião será realizada para avaliar o futuro do toque de recolher. Com o avanço da vacinação e queda nos indicativos da , a Prefeitura irá analisar se o toque de recolher será flexibilizado ou extinto. 

Marquinhos explica que é preciso discutir se flexibilizar o toque de recolher para as duas da madrugada, por exemplo, terá resultado. Caso não seja eficaz, a outra possibilidade em discussão é extinguir o toque de recolher. 

O prefeito reforça que as mudanças dependerão da queda nas internações em Campo Grande e os dados do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia). Marquinhos ressaltou que o município leva em consideração as recomendações do programa do Governo do Estado. 

Comércio pede fim do toque de recolher

A Prefeitura de Campo Grande informou que o decreto do toque de recolher vigente, da meia-noite às 5h, tem validade até o dia 30 de agosto. O fim do toque de recolher tem sido uma medida defendida pelos comerciantes. A (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande) defende que é essencial a extinção do toque de recolher.

A associação alega que o fim do toque de recolher é necessário, já que não há mais definição de restrição de atividade econômica e o fator determinante passou a ser a taxa de ocupação para controle da aglomeração.

Veja também

Moradores presenciaram acidentem e relatam perigo em estrada vicinal

Últimas notícias