Cotidiano

Primeira em MS, Unidade de Acolhimento Infantojuvenil passa a funcionar em Campo Grande

Unidade possui seis vagas para acolhimento de crianças e adolescentes em situação de extrema vulnerabilidade

Fábio Oruê Publicado em 14/09/2021, às 14h19

Entrega do complexo aconteceu nesta terça-feira
Entrega do complexo aconteceu nesta terça-feira - Foto: Divulgação/ PMCG

Um novo complexo de saúde mental passou a funcionar no Bairro São Francisco, em Campo Grande, nesta terça-feira (14), com uma UAI (Unidade de Acolhimento Infantojuvenil), a primeira em Mato Grosso do Sul e segunda no Centro-Oeste do Brasil.

Além da unidade, o complexo irá abrigar diversos serviços voltados ao atendimento psicossocial da população, incluindo dois Caps (Centros de Atenção Psicossocial).

O novo espaço oportuniza a consolidação da Raps (Rede de Atenção Psicossocial), através da integração do Caps Infantojuvenil e o Caps Afrodite Doris Conti, que funcionavam em locais distintos.

A UAI contará com seis vagas para acolhimento de crianças e adolescentes em situação de extrema vulnerabilidade. O serviço oferece acolhimento transitório às crianças e adolescentes de 10 a 18 anos de idade, com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas.

“A unidade oferece cuidados contínuos e de proteção para este público, que pode permanecer no serviço por até seis meses, em caráter voluntário”, explica a coordenadora da Raps, Ana Carolina Guimarães.

Além dos Caps e da UAI, o local receberá as residências multiprofissionais em saúde mental e médica em psiquiatria, além do serviço de avaliação e acompanhamento de pessoas privadas de liberdade e de atendimento à população em situação de rua (Equipe Atenda). O complexo está localizado na Rua São Paulo, nº 70, Bairro São Francisco.

Segundo o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, com a transferência do CAPS IJ para o complexo, será possível utilizar o imóvel onde o serviço funcionava, no Bairro Guanandi, para abrir o segundo Caps Álcool e Drogas (AD) IV do município.

Estrutura de atendimento

A Rede de Saúde Mental do Município é composta por 6 Caps, sendo 4 Caps III, 1 Caps A.D IV, 1 Caps Infantojuvenil, 1 Unidade de Acolhimento e 3 Residências Terapêuticas. Todas as unidades funcionam 24 horas por dia, com média de 1,3 mil consultas ambulatoriais de saúde mental e 2 mil atendimentos nos Caps por mês.

Somente a Rede Municipal possui 101 leitos para atendimentos de pacientes com problemas psiquiátricos ou usuários de álcool e droga.

Além da estrutura própria, o município conta com 12 leitos contratualizados no Hospital Regional para atendimento de pacientes álcool e droga e 27 no Hospital Nosso Lar para atendimento de pacientes com transtornos psiquiátricos.

Os atendimentos de  pacientes com transtornos leves e moderados também são realizados nas 72 unidades básicas de saúde do município (UBS/UBSF).

Jornal Midiamax