Cotidiano

Primeiro dia útil após o Natal leva um pouco de ‘sossego’ ao centro de Campo Grande

Muita gente também aproveitou para fazer as trocas dos presentes de Natal

Anna Gomes e Danielle Errobidarte Publicado em 27/12/2021, às 13h25

Com pouco movimento no centro da Capital, teve gente que arrumou um tempinho para apreciar a decoração natalina que ainda enfeita a 14 de Julho.
Com pouco movimento no centro da Capital, teve gente que arrumou um tempinho para apreciar a decoração natalina que ainda enfeita a 14 de Julho. - Marcos Ermínio/ Mídiamax

Primeiro dia útil após o Natal e o campo-grandense aproveitou o dia para fugir da grande movimentação da última semana. Com poucas pessoas no centro da Capital, teve gente que arrumou um tempinho até para apreciar a decoração natalina que ainda enfeita a 14 de Julho.

O porteiro José Paulo Ferreira, de 47 anos, veio do Maranhão há mais de dez anos. Quase um campo-grandense, ele aproveitou a manhã desta segunda-feira (27), para passar o dia tranquilo no centro da cidade.

[Colocar ALT]
José aproveitou a manhã desta segunda-feira (27), para passar o dia tranquilo no centro da cidade.

“Moro no Nova Lima e apesar de diminuírem a quantidade de ônibus, hoje o fluxo de pessoas ainda foi pequeno. Os coletivos estavam vazios e como o centro está com pouco movimento, aproveitei para apreciar um momento tranquilo”, disse José.

A artesã Arlete Brandão e o esposo, Carlos Brandão, de 55 anos, não perderam tempo e aproveitaram a manhã de hoje para ir comprar algumas ferramentas de trabalho.

“Sou artesã e mexo com produtos recicláveis. Moramos em Bandeirantes e lá não encontro algumas ferramentas de trabalho. Tenho algumas encomendas e vou voltar para minha cidade, mas pretendemos passar o ano novo em Campo Grande”, explicou a artesã.

Cleusa Maria da Silva, de 54 anos, é moradora do centro de Campo Grande e fez uma comparação ao que viveu semana passada. “Moro aqui na região e minha filha gosta de bater perna, mas semana passada era praticamente impossível. Todas as lojas estavam muito vazias, mas hoje já está bem mais tranquilo”.

A aposentada Edvânia Aparecida Geraldo de Souza, de 55 anos, e a neta dela, a estudante Letícia Sthefler, de 23, perceberam que muitos clientes estão procurando as lojas para realizarem trocas de presentes.

[Colocar ALT]
Edvânia e a neta perceberam que muitos clientes estão procurando as lojas para realizarem trocas de presentes.

“A gente veio comprar alguns de casa. Se a gente for comparar com semana passada,a diferença é grande. Até tentei vir, mas desisti, tudo muito cheio e hoje vi várias lojas até fechadas. Também notamos que muita gente está indo trocar os presentes”

Thiago Leandro 25 anos, é montador metalúrgico e disse que semana passada tentou ir ao centro para colocar algumas dívidas, mas ele não conseguiu devido ao grande número de pessoas que estavam no corre-corre das compras de Natal.

“Não tinha vaga para estacionar. Precisava renegociar uma dívida, mas não consegui. Hoje já fui ao banco, no cartório e na lotérica. Tudo muito mais vazio e mais rápido”, contou o montador metalúrgico

Wilson de Souza de 59 anos e a esposa, Regina Delfino de 60 anos, aproveitaram a ‘calmaria’ do centro para curtirem a decoração natalina que estava sendo tão disputada nos últimos dias.

[Colocar ALT]
Wilson e Regina aproveitaram a ‘calmaria’ do centro para curtirem a decoração natalina

“Viemos buscar nosso filho no trabalho e aproveitamos para conhecer a decoração. Semana passada eu trabalhei muito e ainda não tinha dado tempo. Agora com um número menor de pessoas nas ruas a gente parou aqui um pouco para curtir a decoração”, disse Wilson.

Jornal Midiamax