Cotidiano

‘Pode levar uma geladeira?’: Motoristas revelam os pedidos mais inusitados durante corridas em Campo Grande

Eles ainda lidam com xingamentos e investidas sexuais de passageiros

Mariane Chianezi Publicado em 04/09/2021, às 09h00

De pedidos inusitados a investidas sexuais: motoristas relatam sua rotina
De pedidos inusitados a investidas sexuais: motoristas relatam sua rotina - Leonardo de França, Midiamax

Se por um lado os passageiros reclamam da falta de carros e cancelamentos de corridas constantes, os motoristas de aplicativos sofrem com a falta de reajuste nas tarifas há quatro anos, gasolina nas alturas e alguns passageiros “sem noção”. Diante de pedidos para transportar materiais de construção, bicicletas e até eletrodomésticos como geladeiras, os motoristas revelam, inclusive, situações constrangedoras de investidas sexuais e xingamentos vindos de passageiros. 

A profissão, que se tornou muito popular em Campo Grande e em todo o país, não tem sido muito lucrativa para a categoria nos últimos meses, ainda mais diante do aumento frequente do combustível, com a gasolina chegando a custar R$ 6,09 o litro em postos da Capital. Com o combustível 'nas alturas', motoristas ainda precisam lidar com os "caras de pau" que pedem corrida fiado. 

"Sabe a opção de corrida para quem não tem dinheiro? Sim, a que vai a pé"
"Sabe a opção de corrida para quem não tem dinheiro? Sim, a que vai a pé" | Foto: Reprodução, Fala Povo/Midiamax

Os motoristas contam que alguns passageiros abusam e pedem — ou simplesmente impõem — que eles levem materiais de construção. “Na solicitação da corrida o passageiro não disse nada, quando cheguei [no local de partida], ele disse estar com quatro sacos de cimento e uma lata de tinta. Eu olhei e falei: amigo, sem condições”, disse um motorista.

O profissional do volante ainda orientou que o passageiro pedisse para a loja de materiais de construção que providenciasse o frete por serem materiais muito pesados, mas o passageiro disse que “estava com pressa” e o frete da loja só entregaria no dia seguinte.

Também há aqueles que para garantir um preço mais em conta nos trajetos, apelam para o emocional dos motoristas. "Estou passando mal, faz a corrida por R$ 6?". 

Vem por 6 'conto'?
Vem por 6 'conto'? | Foto: Reprodução, Fala Povo/Midiamax

Frete? Só que não

As plataformas de corridas já incorporaram a função de entrega de objetos onde o cliente pode chamar uma corrida, colocar o destino e só mandar a encomenda para o endereço, sem a necessidade de o passageiro ir junto. A alternativa é muito prática para quem deseja um serviço rápido de entrega. Pequenos pacotes, bem embalados, leves... É permitido na função.

Mas muitos não entendem. Um motorista relatou que em um pedido de entrega o passageiro queria que ele trasnportasse um baú pesado e não revelava o que tinha dentro. “Você tá é doido [sic], eu que não aceitei. Vai saber o que tinha lá dentro. Queria que colocasse no porta-malas e não disse o que era”, relatou à reportagem.

Outro motorista de aplicativo relata que ao chegar para buscar o passageiro, se deparou com uma proposta. “Quando acho que já vi de tudo nessa vida de aplicativo, sempre tem um que quer te impressionar. Fui buscar um passageiro no Pedrossian e ele estava de bicicleta e um suporte. Encostei, perguntei pelo nome, e veio com a bike. Perguntei ‘onde você vai campeão’ e ele disse que ia colocar o suporte da bike no meu carro para ir onde ia”, comentou um motorista.

O passageiro ainda teria implorado, mas o motorista esclareceu que o transporte é apenas para passageiros. “Já falei, preciso comprar uma carretinha para fazer frete nessa Campo Grande”, brincou o motorista.

O suporte com a bicicleta não foi nada perto da tentativa de um passageiro de levar uma geladeira em cima do veículo e um fogão no banco de trás. “O cara chamou a corrida e quando cheguei, queria colocar a geladeira amarrada em cima do carro para levar. É brincadeira”, comentou.

Em outra ocasião, foi a vez do fogão. “O passageiro queria tentar colocar o fogão no banco de trás. Disse que não”, comenta.

‘Cinquentinha’ extra?

Se não bastasse as tentativas inusitadas de transporte de coisas, muitos motoristas sofrem com xingamentos e investidas sexuais. Conversa no aplicativo printada por um motorista, revela uma proposta ao motorista: “Tá afim de ganhar R$ 50 a mais na corrida?”. Outro faz uma proposta mais ousada, algo “no sigilo”.

'Cinquentinha' extra?
'Cinquentinha' extra? | Foto: Reprodução, Fala Povo/Midiamax

No sigilo, com local
No sigilo, com local | Foto: Reprodução, Fala Povo, Midiamax

Um motorista relatou que em uma ocasião, ao buscar uma passageira que saía da balada, a moça começou a se despir dentro do carro. Ele conta que precisou interromper a corrida e chamar a polícia para evitar problemas.

Se não bastassem as propostas indecentes, os motoristas também são xingados. As imagens mostram que por simplesmente recusar um trajeto por não achar compensatório, os trabalhadores já são xingados.

Foto: Reprodução, Fala Povo/Midiamax
Foto: Reprodução, Fala Povo/Midiamax

Jornal Midiamax