Cotidiano

Noite fria afasta até jovens de ‘bailinho clandestino’ divulgado por tabacaria em Campo Grande

Equipes da GCM comparecem ao local e encontraram espaço fechado

Danielle Errobidarte Publicado em 29/06/2021, às 13h38

None
(Foto: Divulgação/ GCM)

O ‘bailinho clandestino’ que seria feito em uma tabacaria na noite desta segunda-feira (29)em Campo Grande, nem precisou ser fechado. O frio afastou o público “seleto” do evento que prometia open bar de bebidas alcoólicas e “localização apenas no privado”, para tentar barrar fiscalização do toque de recolher, que permanece às 21h na Capital.

Mesmo com o evento cancelado pelas baixas temperaturas durante a noite e madrugada, uma equipe da GCM (Guarda Civil Metropolitana) esteve no local e encontrou a tabacaria fechada. O evento estava programado para iniciar às 22h na Vila Jacy e, às 22h50, quando os guardas estiveram na tabacaria, não havia público.

A festa tinha o nome de “segundas intenções” e utilizava justamente da previsão de frio para tentar atrair participantes. “Esse tempo está propício. Hoje tem bailinho para esquentar”, dizia o folder de divulgação em uma rede social.

Na tentativa de driblar o efetivo da Capital, o card garantia que a localização seria passada apenas no privado, em contato direto com os organizadores. Aglomerações e quebras das medidas de enfrentamento ao coronavírus levam a doença para mais pessoas.

Eventos, festas e aglomerações após o toque de recolher podem ser denunciadas por meio do telefone 153. O telefone é da Guarda Civil Metropolitana, responsável junto com Semadur, Agetran, Procon e Vigilância Sanitária pelas fiscalizações em Campo Grande.

Jornal Midiamax