Cotidiano

Mulher afirma que agrediu funcionário para se defender ao recuperar animal no CCZ

Nas redes sociais, a mulher detalhou a visita ao CCZ para recuperar cadela que fugiu de casa

Dândara Genelhú Publicado em 05/09/2021, às 11h29

Cadelinha teria furado a cerca de proteção e fugido de casa.
Cadelinha teria furado a cerca de proteção e fugido de casa. - Foto: Reprodução | Redes sociais.

Após confusão no CCZ (Centro de Controle de Zoonose) de Campo Grande, mulher afirmou que apenas se defendeu de funcionário que a agrediu. Em relato nas redes sociais, a dona de uma cadela recolhida pelo Centro detalhou a versão do ocorrido.

Quando retornou do trabalho no sábado (4) por volta das 19h, percebeu que uma das cadelas de estimação havia fugido por um buraco na tela de proteção do portão. Ela descobriu que um vizinho encontrou o animal e, por não saber quem era o dono, acabou levando o pet para o CCZ.

Já no CCZ, ela relatou que foi atendida grosseiramente por um homem desde o início, enquanto outros atendentes a trataram com educação. “Falaram para mim que eu podia ir lá no fundo reconhecer minha cadelinha e esse funcionário muito rude me acompanhou”, disse a mulher.
No canil, ela reconheceu a cadela e disse que, na emoção, tentou abrir a cela para segurar o animal.

“Nisso, o funcionário me deu um empurrão muito forte no peito e me agarrou pelos braços muito forte e começou a me jogar pra fora gritando que eu não podia pegar-lá, que não ia levá-la!”, afirmou nas redes sociais.

A mulher explicou na publicação que, com o susto, se defendeu. “O empurrei com as mãos o que acabou o arranhando”. Além disso, a dona do animal disse que questionou o homem sobre as agressões e o atendimento recebido.

Ela pediu para falar com a veterinária de plantão e disse que registraria boletim de ocorrência. Ao conversar com a profissional responsável pelo turno, a dona do animal afirmou que foi interrompida pelo funcionário, que teria sido acompanhado por um guarda até outra sala.

“Ela foi super gentil e me cedeu a autorização para levar minha cadelinha. Preenchi todos os formulários e informei que iria fazer um B.O. e levei minha cadelinha embora para casa”, detalhou. Nas redes sociais, a mulher pediu para o CCZ “rever o tipo de gente que trabalha lá”.

Outro lado

Em boletim de ocorrência, o funcionário relatou à polícia, que a mulher foi ao local alegando estar procurando por uma cachorrinha que teria fugido de casa e havia sido recolhida pelo CCZ.

Ele relatou que a mulher estava alterada e, ao encontrar a cachorrinha, tentou abrir a porta do canil, momento em que o funcionário entrou na frente para orientá-la sobre os procedimentos para a retirada do cão.

Nesse momento, ela teria desferido socos e arranhões, deixando-o com lesões no rosto e pescoço. O caso foi registrado na Depac-Centro (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) como lesão corporal dolosa e perturbação do trabalho ou sossego.

Jornal Midiamax