Cotidiano

MS tem cidade que já vacinou 30% da população contra covid e outras não imunizaram 10%

Controle da doença é atingido após pelo menos 60% das pessoas estarem protegidas, conforme a OMS

Gabriel Maymone Publicado em 01/05/2021, às 13h17

Vacinação depende do envio de doses do Ministério da Saúde
Vacinação depende do envio de doses do Ministério da Saúde - Leonardo de França / Midiamax

O ritmo de vacinação pode variar muito conforme cada cidade. Enquanto que algumas já conseguiram imunizar mais de 30% de seus habitantes, outras ainda estão longe de alcançar os 10% da população em Mato Grosso do Sul. Os dados foram fornecidos pelos próprios municípios ao painel Mais Saúde, mantido pela SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Conforme os dados, o município de Japorã é o que vacinou o maior percentual de sua população em Mato Grosso do Sul. A cidade de cerca de 9,2 mil habitantes já imunizou 31,47% da população. Na sequência, outras 4 cidades já vacinaram mais de 26%: Miranda, Dois Irmãos do Buriti, Rio Negro e Paranhos.

No caso de Japorã, a cidade já alcançou metade do que a OMS (Organização Mundial de Saúde) considera como ideal para se obter o controle do vírus, que é de 60%.

Em relação aos que concluiram as duas etapas da vacinação, Japorã também está na frente, com 23,6% de seus habitantes completamente imunes ao coronavírus. Na sequência aparecem Miranda, com 21,1% e Tacuru, com 20%.

Por outro lado, 4 cidades de MS sequer vacinaram 10% de seus habitantes e estão atrasadas na aplicação das doses. Sonora, no extremo norte do Estado, com 19,7 mil moradores, imunizou apenas 8,87% da população em mais de 3 meses de campanha.

Outros 3 municípios também estão com percentual de população vacinada abaixo dos 10%: Chapadão do Sul, Nova Alvorada do Sul e Ribas do Rio Pardo.

Um dos motivos para a discrepância na vacinação é o fato dos municípios que estão mais avançados possuírem população indígena, que estavam no primeiro grupo de contemplados com a imunização, como é o caso de Japorã. Por lá, pessoas a partir de 55 anos já estão recebendo doses.

Jornal Midiamax