Cotidiano

MS tem 95% de chance de ter aumento de casos de covid nos próximos 45 dias, alerta Fiocruz

Informações estão em novo boletim divulgado pela fundação

Gabriel Maymone Publicado em 29/05/2021, às 10h10

Mato Grosso do Sul é um dos 3 estados com mais chance de ter aumentos de casos
Mato Grosso do Sul é um dos 3 estados com mais chance de ter aumentos de casos - Leonardo de França / Midiamax

Mato Grosso do Sul apresenta 95% de chance de ter aumento de casos de covid nos próximos 45 dias. O alerta consta no boletim 'Infogripe' da Fiocruz (Fundçaão Oswaldo Cruz), que alerta para um novo píco da doença no país.

Conforme os pesquisadores, "Amazonas, Mato Grosso do Sul, e Rio Grande do Sul apresentam sinal forte (prob. > 95%) de crescimento na tendência de longo prazo". 

A análise da Fiocruz inclui capitais e até macrorregiões de cada estado. Em MS, a região sul é a que tem maior probabilidade de viver um novo pico da doença nas próximas semanas. A região do Bolsão também apresenta  probabilidade de 75% de ter alta no número de infectados. A região do Pantanal deve ter estabilização de casos e, por fim, a macrorregião de Campo Grande pode até registrar queda.

Dessa forma, o boletim taz um alerta para as autoridades. "A interrupção da queda ainda em patamares elevados e a retomada do crescimento podem ser atribuídas em parte à retomada da circulação da população e consequente maior exposição por conta das medidas de relaxamento".

Campo Grande

Na análise específica de capitais, a Fiocruz coloca Campo Grande como uma das 11 cidades que pode ter aumento de casos. "Em Campo Grande, Cuiabá, Goiânia, João Pessoa, Maceió, Manaus, Salvador, e São Paulo observa-se sinal moderado de crescimento na tendência de longo prazo".

Assim, o documento pontua que "esses sinais reforçam a importância da cautela em relação à medidas de flexibilização das recomendações de distanciamento para redução da transmissão da COVID-19 enquanto a tendência de queda não tiver sido mantida por tempo suficiente para que o número de novos casos atinja valores significativamente baixos".

Jornal Midiamax