Cotidiano

Mesmo com pesca proibida, capivara é encontrada ferida por anzol na Lagoa Maior

Desde 2013 é proibido nadar e pescar no local

Karina Campos Publicado em 23/04/2021, às 09h00 - Atualizado às 09h03

None
(Foto: Divulgação/Prefeitura de Três Lagoas)

A Prefeitura de Três Lagoas, a 326 quilômetros de Campo Grande, divulgou, nesta sexta-feira (23), que uma capivara foi encontrada ferida com anzol na Lagoa Maior. Desde 2013 é proibido pescar no local.

A Semea (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio), prestou atendimento ao animal. De acordo com a veterinária Andréia Santana, a suspeita é que o acidente tenha acontecido no feriado de Tiradentes, na quarta-feira (21), um dia que o infrator pode ter aproveitado e cometido a infração.

 “O objeto estava perfurando a região lombar do animal. É possível que a capivara tenha sido atingida no momento do arremesso do anzol na água ou tenha passado pela linha no leito da Lagoa”, explicou.

Por um triz, o anzol estava em uma parte superficial da pele do animal e não causou ferimentos graves à sua saúde e nem risco de morte.  “A Lagoa Maior é o nosso maior cartão postal e não podemos deixar que acidentes como este prejudiquem a imagem que tem. Sendo um local de grande circulação de pessoas e pelos animais nativos de lá, é preciso entender que a pescaria pode prejudicar e muito, inclusive as aves”, disse o secretário da pasta, Celso Yamaguti.

Um estudo realizado em 2008 pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) do município revela que, devido à alcalinidade da água e outras influências, os peixes encontrados na Lagoa são impróprios para consumo, podendo causar danos à saúde humana.

Jornal Midiamax