Cotidiano

Mesas intercaladas e álcool em gel: escolas municipais de Campo Grande recebem alunos de volta na segunda

Profissionais da educação municipal voltaram aos trabalhos presenciais no dia 19, última segunda-feira

Mariane Chianezi Publicado em 23/07/2021, às 17h02

None
Divulgação/Fala Povo/Midiamax

Com o retorno presencial das aulas na rede municipal programado para segunda-feira (26) em Campo Grande, as escolas da Reme (Rede Municipal de Educação) já estão com as salas de aula e demais espaços preparados para receber os alunos. Com mesas intercaladas, dispensers de álcool em gel, máscaras e distanciamento, os alunos retornam às escolas após ficarem mais de 1 ano e meio em ensino remoto. 

Na semana passada, a Prefeitura de Campo Grande divulgou decreto que autoriza o retorno das aulas presenciais nas escolas da Reme (Rede Municipal de Educação). A decisão do executivo estabelece que as escolas deverão fazer escalonamento semanal dos alunos, com atendimento presencial e não presencial, conforme normas já vigentes, etapa de ensino, turma e turno, 'observando o limite máximo de alunos estabelecido nos protocolos sanitários específicos para a área da educação'. Os profissionais da educação já retomaram os trabalhos no dia 19, segunda-feira.

Quando os estudantes não estiverem nas instituições de ensino, as escolas terão de trabalhar com atividades para que eles façam em casa, para complemento da carga horária obrigatória do aluno. 

De acordo com o texto, pais e responsáveis legais dos alunos deverão manifestar, por escrito, em termo padrão elaborado pela Reme, sobre o retorno ou não às aulas presenciais, 'com ciência das obrigações inerentes a uma ou à outra situação'. 

Normas para retomada segura

A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) anunciou que possui diretrizes que auxiliam instituições de ensino a tomarem medidas para cuidado e segurança dos alunos durante a volta às aulas.

Os tópicos fazem parte da Prática Recomendada PR 1004, que indica procedimentos de atenção desde a saída do aluno de casa, até seu retorno.

As sugestões contemplam a adoção de horários diferenciados das atividades de aula, intervalos, refeição, atividades esportivas, utilização de máscaras de proteção com monitoramento do tempo de uso, bem como, a divisão de alunos em bolhas com no máximo 15 membros.

Ainda de acordo com a associação, os estabelecimentos de ensino poderão solicitar um selo de confiança, que ajudará a instituição a atestar aos pais e responsáveis pelos alunos o quanto está comprometida e preparada para este retorno seguro.

Jornal Midiamax