Cotidiano

Intenção de consumo dos moradores atinge maior nível desde março em Campo Grande

Intenção de consumo de 89,1 pontos é o segundo maior do ano na Capital

Mariane Chianezi Publicado em 21/09/2021, às 13h21

None
De arquivo, Midimax

A ICF (Intenção de Consumo das Famílias) de Campo Grande mantém a tendência de crescimento dos últimos meses, alcançando o segundo maior índice do ano, de 89,1 pontos, neste mês de setembro. O maior índice registrado até agora em 2021 era do mês de março, com 89,9 pontos. Os dados são do levantamento da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

Conforme a Fecomércio-MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), apesar de ainda estar na chamada zona negativa, ou seja, abaixo de 100 pontos, os números são animadores.

"São três meses seguidos de crescimento e com números significativos. Isso demonstra um controle maior do consumidor em relação às suas dívidas e também uma melhora na confiança, e de retomada do consumo. O índice é um pouco menor para quem ganha até 10 salários mínimos (85,9), mas para a faixa que ganha mais, já passamos dos 100 pontos (105,5)", explica a economista do IPF-MS (Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio MS), Regiane Dedé de Oliveira.

Dos sete indicadores apurados, apenas a renda atual apresentou índice negativo (-2,1%). Entre as maiores variações estão o momento para duráveis (8,5%), seguido pela perspectiva de consumo (8,1%) e compra a prazo/acesso ao crédito (4%).

A pesquisa apontou ainda que 54,6% dos consumidores ouvidos estão mais seguros em relação à situação atual do emprego e a maioria (62,3%) tem uma perspectiva profissional positiva para os próximos seis meses. Já em relação à renda atual, 46,4% afirmam que está igual ao ano passado e para 42,1% dos entrevistados está mais difícil conseguir empréstimo/crédito para comprar a prazo.

Jornal Midiamax