Cotidiano

Instituto faz mapeamento hidrográfico da Bacia do Rio Paraguai

O mapeamento foi entregue ao Governo do Estado, que também discutiu medidas para recuperar Rio Taquari

Lucas Mamédio Publicado em 08/09/2021, às 15h19

Rio Paraguai
Rio Paraguai - (Foto: Arquivo/Midiamax)

O Instituto Taquari Vivo entregou ao Governo do Estado, nesta quarta-feira (8), o mapeamento hidrográfico da Bacia do Rio Paraguai, que foi feito em parceria com o Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). Ainda aproveitou a reunião para discutir ações de recuperação do Rio Taquari.

Segundo o instituto, o mapeamento da Bacia do Rio Paraguai vai permitir identificar os “pontos críticos” de toda bacia em relação a áreas degradas e de erosão, assim como contribuir para uma análise mais rápida do Cadastro Ambiental Rural (CAR) das propriedades que estão nesta região.

O diretor-executivo do Instituto Taquari Vivo, Renato Roscoe, disse que o mapeamento durou seis meses e que vai melhorar a precisão da rede hídrica do Estado. “O governo vai conseguir enxergar melhor onde estão os pontos críticos, para priorizar ações de intervenção, em relação à erosão e áreas degradadas”.

Roscoe destacou que todo trabalho foi monitorado pelo Imasul, que validou cada etapa deste levantamento. “Antes, o mapa disponível era da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, mas a precisão era muito pequena, por isso resolvemos produzir este material”.

Bacia do Rio Taquari

A reunião também serviu para discutir ações para recuperação da Bacia do Rio Taquari, começando pelos pontos mais críticos. 

O secretário Jaime Verruck ressaltou que as ações para restauração da bacia (Rio Taquari) serão priorizadas pela Semagro e Imasul. “O governador definiu ao final da reunião que nossa equipe vai focar neste trabalho no Taquari, para isto vamos desenvolver um plano e já temos buscado recursos internacionais para ampliar os investimentos”.

Jornal Midiamax