Cotidiano

Fora da lista do governo de MS, Santa Casa tem medicamento de kit intubação apenas para este sábado

Hospital não recebeu remédio na última distribuição da SES aos hospitais de MS

Gabriel Maymone Publicado em 03/04/2021, às 14h48

Remédio para kit intubação deve acabar neste sábado na Santa Casa
Remédio para kit intubação deve acabar neste sábado na Santa Casa - Ascom / Santa Casa CG

Após ter semana caótica no atendimento a pacientes, a Santa Casa emitiu nota alertando que o estoque do medicamento Rocurônio, que faz parte do 'kit intubação', deve acabar ainda neste sábado (03). Há dois dias, o governo de Mato Grosso do Sul recebeu remessa de medicamentos do Ministério da Saúde para distribuir a hospitais, mas Santa Casa ficou de fora.

Conforme nota do hospital, neste sábado (03), restam apenas 116 ampolas do medicamento, sendo que o consumo médio diário é de  250 ampolas.

O hospital critica o governo do Estado por ter excluído a Santa Casa da distribuição na quinta-feira. "Vale destacar que a última disribuição de medicamentos aos hospitais públicos e particulares de Mato Grosso do Sul realizada pelo governo do Estado há dois dias, em 1º de abril, não contemplou a Santa Casa de Campo Grande", diz o hospital em nota.

O comunicado reforça que apesar do hospital ser considerado de retaguarda durante a pandemia, ou seja, atende casos de pacientes não covid, a instituição designou 120 leitos exclusivos para pacientes covid "atendendo à necessidade do poder público".

Superlotação e caos

Na quinta-feira (1º), a Santa Casa emitiu nota alertando para o aumento de internação de pacientes vítimas de acidentes graves e de crimes. Assim, cerca de 8 pessoas, sem Covid-19, esperavam por um leito de CTI (Centro de Terapia Intensiva).

Dos pacientes, todos estão em salas de estabilização, 2 no ambulatório do Pronto-Socorro. Os internados no Centro Cirúrgico foram transferidos para outras unidades, não houve óbito no setor. A ocupação de leitos adulto não-covid é de 100%.

Ainda conforme o hospital, pacientes estão de forma improvisada. “Outros 6 pacientes estão em salas do centro cirúrgico, ou seja, estas salas ficam “travadas” para cirurgias até que esses pacientes consigam vaga no CTI”, finaliza.

Apelo à população

Diante da situação, o hospital pede que a população redobre os cuidados para prevenir acidentes domésticos e de trânsito, e principalmente, envolvimento em casos de agressões física.

Isso porque a Santa Casa de Campo Grande é o único a receber pacientes SUS em estado grave que não estejam com Covid-19. De acordo com a instituição, o momento é de extrema gravidade na oferta de leitos, medicamentos, insumos e de equipes assistenciais. Desta forma, é preciso deixar os leitos para pacientes com doenças pré-existentes ou que venham a sofrer intercorrências, como problemas cardiovasculares, neurológicos, respiratórios, entre outros.

Jornal Midiamax