Cotidiano

'Fez a diferença': família e amigos se despedem de fisioterapeuta morto em acidente na BR-262

Além dele, um rapaz de 25 anos e um menino de oito não resistiram aos ferimentos

Renata Fontoura e Ranziel Oliveira Publicado em 06/06/2021, às 14h20

Velório foi realizado no Cemitério Jardim das Palmeiras
Velório foi realizado no Cemitério Jardim das Palmeiras - Marcos Ermínio | Jornal Midiamax

O velório de José Roberto Segrillo Faker, fisioterapeuta, de 38 anos, na tarde deste domingo (6), foi marcado pela emoção da despedida de família e amigos, no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Campo Grande. O fisoterapeuta, chamado pelos amigos de Bita, foi uma das vítimas fatais do acidente a 100 quilômetros de Corumbá, próximo ao posto fiscal Buraco das Piranhas, na BR-262, km 674, deste último sábado (5)

Querido por tantas pessoas, Bito também era ativo em eventos de futebol/futsal e até chegou a comentar em alguns campeonatos na TV Morena, filiada da TV Globo em MS. Igor Borges, professor de Educação Física, de 37 anos, esteve na despedida e contou que havia 10 anos que ambos jogavam juntos. "José era o capitão do time da Associaçao Médica. Sempre liderando com inteligência e sabedoria. Era muito querido entre os clubes", relembra. 

[Colocar ALT]
Velório de José Roberto, o Bita, foi marcado pela emoção de amigos e familiares | Foto: Reprodução | Facebook

Outro amigo do fisioterapeura era Luis Eduardo. "Assim que eu cheguei [a Campo Grande], o Bita me acolheu no empreendimento dele. Foi como um pai, conselheiro magnífico, um grande amigo e grande homem", se emociona. Uma das pacientes de José também esteve presente no local. "Era muito humano. Se preocupava com cada um dos pacientes. Nessa breve passagem fez a diferença", destaca Vânia Regina, de 55 anos.

Para uma das funcionárias do profissional e também fisioterapeuta, Graziela Rezende, José era muito mais que um chefe, era também como um pai e o trabalho era como sua segunda casa. "A gente convivia todo dia. Era um profissional competente e compromissado", elogia a jovem de 28 anos.  

Acidente 

Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Corumbá, a chamada para o acidente foi às 7h45 do sábado. A colisão foi frontal entre um Jeep Renegade, conduzido por Gabriel Silva de Almeida, de 25 anos, também morto; e uma camionete Hilux, conduzida por José Roberto, tendo Matheus Gonçalves Moussa, de oito anos, que estava no banco traseiro, também vítima fatal.

Ainda conforme os bombeiros, Gabriel estava indo de Campo Grande a Corumbá, enquanto a Hilux seguia para Campo Grande. 

Matheus era filho de Jansen e neto do ex-presidente da Maternidade Cândido Mariano e da junta administrativa da Santa Casa, Issam Moussa. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) também atenderam a ocorrência. Ele foi sepultado nesta manhã, no mesmo cemitério, em cerimônia marcada por lágrimas e lembranças.

De acordo com as informações levantadas pela reportagem do Jornal Midiamax, junto ao Corpo de Bombeiros de Corumbá, as três vítimas fatais ficaram presas nas ferragens e o trabalho levou cerca de cinco horas. Houve demora na ocorrência por conta da distância onde ocorreu o acidente.

Jornal Midiamax