Cotidiano

Família com 5 crianças fica desabrigada após árvore cair e destelhar casa em Campo Grande

Queda ocorreu após as fortes chuvas de quarta-feira

Nathália Rabelo e Danielle Errobidarte Publicado em 30/12/2021, às 10h48

Corpo de Bombeiros compareceu ao local para fazer a retirada dos galhos
Corpo de Bombeiros compareceu ao local para fazer a retirada dos galhos - (Foto: Danielle Errobidarte/ Jornal Midiamax)

A chuva que atingiu Campo Grande na tarde de quarta-feira (29) trouxe alguns estragos para a cidade. No Bairro Cerejeiras, uma família ficou desabrigada após uma árvore de grande porte cair em cima da casa e ficar parcialmente destelhada. Sem poder voltar para o local até que a árvore seja retirada, família segue abrigada na casa de parentes.

A dona de casa Patrícia Rodrigues, de 30 anos, mora com os cinco filhos. Ela estava em casa durante a chuva quando, por volta de 17h, escutou o barulho do galho caindo na residência. Ela disse ao Jornal Midiamax que a parede também rachou.

A área mais atingida foi a parte de trás da casa, onde tem um quarto, a cozinha e o banheiro. Nos últimos ambientes, as telhas caíram por causa do impacto. A energia da rua também parou de funcionar. Assim, Patrícia precisou pegar as crianças e sair de casa.

[Colocar ALT]
Casa foi atingida por árvore na Capital (Foto: Arquivo Pessoal)

Localizada na Rua Doná Mariana Lemos, a mulher alugou a casa há um ano. Desde então, sempre foi alertada pelos vizinhos sobre risco que a árvore proporcionava, uma vez que já estava torta. O terreno também é desnivelado e sempre entra água na residência quando chove. O proprietário do local foi informado do acontecimento.

O Corpo de Bombeiros de Campo Grande compareceu ontem (29) e orientou a família a sair do local devido aos riscos - que agora está abrigada na casa da cunhada de Patrícia. Os militares retornaram na manhã desta quinta-feira (30) para fazer a poda e retirada da árvore de cima da residência.

De acordo com o capitão Wagner, os galhos foram retirados hoje porque estava chovendo muito no dia anterior. Além disso, a situação apresentava riscos somente à residência, que está com a estrutura comprometida, e os moradores já estavam em local seguro.

Wagner também orientou a população de que os bombeiros só atuam em situações de risco. Assim, a poda preventiva ou orientação de corte devem ser solicitadas diretamente à Prefeitura. Dessa forma, Patrícia e os filhos só podem voltar a morar na casa quando a árvore for removida e os bombeiros analisarem a estrutura.

Chuva na Capital 

Segundo meteorologista Natálio Abraão Filho, em pouco mais de uma hora choveu, em média, 43,5 milímetros de em Campo Grande na quarta-feira (29). O levantamento foi feito das 14h40 às 16h00. Os ventos chegaram a 53 km/h. A gegião da Embrapa registrou 33,0 mm. No Carandá bosque o volume foi de 29,6mm, na Vila Sanra Luzia de 41,2 mm, no Jardim Panamá 35,1 mm, na região do UPA aparecida Gonçalves 45,3 mm. Ainda segundo o mesmo levantamenot foram 1.279 raios regitrados. 

A chuva chegou e trouxe alguns efeitos no Centro e outras regiões de Campo Grande. Os trechos das Ruas Rui Barbosa e 13 de Maio com a Cândido Mariano já contam com problemas no funcionamento dos semáforos. Além disso, ventos intensos derrubaram itens da decoração de Natal na Rua 14 de Julho e fez com que pedestres procurassem abrigo nas lojas e comércios. 

Também houve registro de queda de árvores durante a ventania. Segundo o Corpo de Bombeiros, oficiais vão atender duas ocorrências de retirada hoje, enquanto a Defesa Civil está encarregada de uma soliticação. 

Jornal Midiamax