Cotidiano

Estudantes de medicina da UFGD vão à Câmara cobrar EPIs para aulas práticas

Representantes do curso de medicina da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) procuram a Câmara Municipal para pedir ajuda para o retorno às aulas práticas. Segundo eles, os cursos da área de saúde estão sem EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). Na reunião que aconteceu no gabinete do presidente da Câmara, Laudir Munaretto, os estudantes afirmaram […]

Marcos Morandi Publicado em 04/03/2021, às 06h42

Encontro reuniu estudantes e vereadores. (Foto: Valdenir Rodrigues)
Encontro reuniu estudantes e vereadores. (Foto: Valdenir Rodrigues) - Encontro reuniu estudantes e vereadores. (Foto: Valdenir Rodrigues)

Representantes do curso de medicina da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) procuram a Câmara Municipal para pedir ajuda para o retorno às aulas práticas. Segundo eles, os cursos da área de saúde estão sem EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

Na reunião que aconteceu no gabinete do presidente da Câmara, Laudir Munaretto, os estudantes afirmaram que equipamentos são de extrema necessidade para que possam realizar o estágio no Hospital Universitário, Hospital da Vida e na UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

A preocupação dos acadêmicos se deve principalmente pelo retorno as aulas na UFGD, previstas a partir da próxima segunda-feira (08). De acordo com os estudantes, algumas turmas deverão ter aulas práticas e, consequentemente, aumentará a demanda de EPIs nos locais de estágio.

“Acreditamos que a disponibilidade de EPIs a todos os alunos, sejam na área da saúde ou não, o retorno das aulas pode acontecer mais rápido e assim diminuir o tempo perdido”, considera o estudante Altair Meirelles, presidente do centro acadêmico.

Outro pedido dos estudantes é com relação ao aumento das turmas em regime de ‘internato’, que ocorreu devido ao acesso ao vestibular semestral. No entanto, não houve a ampliação no número de preceptores para auxiliar na formação durante as aulas práticas.

“Se existissem bolsas para preceptoria nos campos de estágio de saúde pública, contribuiria para a diminuição do número de alunos por estágio, facilitando assim a comunicação entre médico e aluno e melhorando o aprendizado e valorizando a classe dos docentes”, considera os estudantes.

Para o presidente do Legislativo, Laudir Munaretto (MDB), a luta dos acadêmicos é justa e coerente em exigir materiais de proteção individual durante os estágios que fazem parte das aulas práticas. Neste sentido, ele sugere uma campanha de doação de EPIs envolvendo instituições públicas e a iniciativa privada na arrecadação destes equipamentos.

Participaram do encontro, que acontece todas as quartas-feiras os vereadores que compõe a Comissão de Saúde da Casa, Dr. Diogo Castilho (presidente) e Liandra Brambilla (membro) e o vereador Daniel Junior (Patriota).

Jornal Midiamax