Cotidiano

Escolas buscam inserir novas perspectivas na educação sobre povos indígenas do Brasil

Ouvir os povos originários ajuda na reconstrução histórica do Brasil para as crianças

Dândara Genelhú Publicado em 19/04/2021, às 14h23

Doutor indígenas explica que escolas devem aprofundar as informações sobre os povos tradicionais.
Doutor indígenas explica que escolas devem aprofundar as informações sobre os povos tradicionais. - Foto: Mário Vilela | Funai

Se antes as crianças pintavam o rosto e se caracterizavam sem saber dos significados importantes e históricos, agora é preciso conscientizar os pequenos sobre os povos indígenas. Cada vez mais a sociedade e por consequência, as escolas, devem buscar mais conhecimento sobre os povos originários do Brasil. 

Assim, nesta segunda-feira (19), é celebrado o dia nacional dos povos indígenas. Então, é necessário usar desta data, assim como no resto do ano, para abordar temas importantes sobre estes povos com os estudantes. 

O doutor em educação, escritor e indígena, Daniel Munduruku, explica que o caminho para a sociedade construir uma percepção mais próxima dos povos indígenas é dar espaço para o próprio povo originário. “É muito importante que os historiadores tragam para o cenário da educação as diferentes vozes que foram sendo silenciadas nestes cinco séculos da história oficial”, aponta. 

Além disto, ele destaca que é preciso mostrar como o país foi construído e principalmente desconstruir grandes nomes vistos como heróis nacionais, mas que na verdade foram “grandes genocidas. O brasileiro precisa aprender a gostar de seu passado porque ele foi construído sobre a resistência dos povos indígenas e, posteriormente, dos negros escravizados”.

Sobre a educação infantil, a supervisora de educação infantil da rede, Glaucia Sobral, diz que as brincadeiras e o conhecimento devem andar lado a lado. “Podemos celebrar essa riqueza cultural que temos junto a tantas outras que compõem a nossa nação. Por meio de danças, brincadeiras, culinária e linguagens podemos entender um pouco mais sobre a cultura indígena. É bom termos um dia para celebração e reflexão, e esse não é um dia isolado, mas sim um dia de coletividade”. 

Pensando nisso, a rede de ensino Elite resolveu mudar a forma de abordagem da data comemorativa. De acordo com a supervisora, a escola busca levar os significados dos povos indígenas e costumes que estão no dia a dia das crianças. “Mostramos a existência de muitas outras referências dentro dessa cultura, que é praticada por nós e que merecem o reconhecimento”, explica.

Jornal Midiamax