Cotidiano

Em um ano, preço da cesta básica sobe R$ 100 em Campo Grande; veja alimentos que ficaram mais caros

Em julho, valor do kit ficou em R$ 588,84, segundo estudo publicado pelo Dieese

Gabriel Maymone Publicado em 05/08/2021, às 10h57

Tomate foi o alimento da cesta básica que teve maior alta no preço em julho em Campo Grande
Tomate foi o alimento da cesta básica que teve maior alta no preço em julho em Campo Grande - Tânia Rêgo / Agência Brasil

O preço dos alimentos que compõem a cesta básica subiu R$ 100 em um ano em Campo Grande, conforme pesquisa divulgada, nesta quinta-feira (5), pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Dessa forma, o valor da cesta básica chega a R$ 588,84, ou seja, sofreu alta de 22,73% em 12 meses. Somente no mês de julho, a alta foi de 3,89% em Campo Grande, a 2ª maior variação entre as 17 capitais do país pesquisadas pelo Dieese.

Assim, um trabalhador que recebe um salário mínimo compromete 57,87% do seu salário com a alimentação básica na Capital.

O item que teve maior alta no mês de julho, em Campo Grande, foi o tomate, que subiu 25,38% em relação ao mês anterior.

Outros itens que ficaram mais caros e pesam no bolso do campo-grandense são:

  • Banana (13,31%)
  • Café em pó (8,77%)
  • Manteiga (4,25%)
  • Farinha de trigo (3,71%)
  • Açúcar cristal (3,40%)
  • Leite de caixinha (3,03%)
  • Carne bovina (2,86%)
  • Pão francês (1,50%)
  • Arroz agulhinha (0,44%)

Por outro lado, alguns produtos ficaram mais baratos como, por exemplo:

  • Batata (-19,29%)
  • Óleo de soja (-0,46%)
  • Feijão carioquinha (-0,15%)
Jornal Midiamax