Cotidiano

Em Corumbá, 594 pessoas não retornaram para tomar a segunda dose da Coronavac

Situação também ocorre com o imunizante da AstraZeneca, com 585 pessoas que não voltaram para a segunda dose

Ranziel Oliveira Publicado em 28/06/2021, às 14h02

Imunizante contra a Covid-19
Imunizante contra a Covid-19 - (Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

Em Corumbá, 594 pessoas ainda não compareceram para tomar a segunda dose da vacina Coronavac. O imunizante foi o grande responsável pela diminuição dos óbitos entre os profissionais de saúde e idosos, os primeiros públicos prioritários a serem vacinadas contra a Covid-19. O município também registra 585 pessoas que tomaram a primeira dose da Astrazenaca há mais de 12 semanas, e que já deveriam ter tomado a segunda dose.

Atualmente, a realidade é que os óbitos decorrentes do novo coronavírus atingem mais os jovens, justamente a faixa etária que ainda não foi contemplada pela imunização. No estudo realizado na cidade de Serrana (SP), que imunizou toda a cidade, constatou-se a diminuição de 80% dos casos sintomáticos e 86% das internações.

Mesmo com o fato de todos os imunizantes contra a covid-19 em uso no Brasil serem seguros e possuírem registro e eficácia comprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), ainda há pessoas que vão aos postos de vacinação em busca de determinado imunizante.

Um dos motivos que levam as pessoas a rejeitar uma marca em específico é a divulgação de informações sem fundamento sobre a qualidade e eficácia do medicamento. Todas as vacinas aplicadas em território nacional são eficazes e seguras, cada uma com suas particularidades e efetividade.

Jornal Midiamax