Em condomínios de Campo Grande regras são explícitas, mas uso da máscara é ignorado por alguns

Dentro das delimitações dos condomínios de Campo Grande, o convívio é pautado por assembleias e possíveis discórdias, mas quando se trata de normas de biossegurança para combater o coronavírus, a decisão por parte dos locais é unânime. Contudo, minoria dos moradores acaba ignorando o uso da máscara e colocando a vida de vizinhos em risco. […]
| 17/03/2021
- 19:00
Em condomínios de Campo Grande regras são explícitas, mas uso da máscara é ignorado por alguns
Condomínios no bairro Vila Nova Campo Grande (Foto: Ranziel Oliveira / Jornal Midiamax) - Condomínios no bairro Vila Nova Campo Grande (Foto: Ranziel Oliveira / Jornal Midiamax)

Dentro das delimitações dos condomínios de Campo Grande, o convívio é pautado por assembleias e possíveis discórdias, mas quando se trata de normas de biossegurança para combater o coronavírus, a decisão por parte dos locais é unânime. Contudo, minoria dos moradores acaba ignorando o uso da máscara e colocando a vida de vizinhos em risco.

No bairro Santo Antônio, o secretário de um é minucioso quando o tema é aplicação das regras de saúde. Ele instalou cartazes informativos e álcool em gel por todo o local. “Estamos fazendo o máximo possível, do porteiro ao faxineiro, todos de máscara. Fechamos o parquinho e tem álcool em gel em todos os blocos”, explicou Ademir Pereira, de 67 anos.

Quando se trata de solicitar o uso do EPI, itens de proteção, a medida nem sempre agrada a todos moradores, mas como afirma Ademir, é a recomendação para todos. “A maioria usa máscara, tem aqueles que acham que não vão pegar, essa pessoa é complicada, se você falar é capaz de ser xingado, mas orientamos”, explicou.

Em condomínios de Campo Grande regras são explícitas, mas uso da máscara é ignorado por alguns
Álcool em gel está espalhado por todo condomínio (Foto: Ranziel Oliveira / Jornal Midiamax)

Entre as possíveis medidas para incentivar o uso a proteção, a decisão cabe às clássicas reuniões de condomínio para uma possível penalização. “Nós não podemos multar ou fazer alguma coisa do tipo, porque não foi decidido em assembleia do condomínio”, finalizou o Ademir.

Morando em um dos 240 apartamentos do local, o aposentado Francisco Alves, de 75 anos, faz parte da maioria das pessoas que compreende a importância do uso da máscara, e fica indignado com falta de sensibilidade com vida do próximo. “ [A pessoa] está errada, porque ela tá procurando a doença e passando outros. O único preventivo que segura essa doença é a máscara”, detalhou.

Mesmo discordando de quem não usa, o aposentado prefere evitar o atrito e seguir a vida com o conhecimento que o tempo lhe concedeu. “A gente não fala nada, porque a pessoa não vai achar bom. Esses janeiros que eu tenho me fizeram entender uma opção de coisas, se for um filho meu eu falo”, finalizou o morador.

Falta cobrança

Em outro ponto da cidade, na região da Vila Nova Campo Grande, o síndico de um condomínio afirma entender a importância da máscara, porém, a recomendação é ignorada por uma parcela moradores. “É cobrado, mas os moradores não seguem. Por acharem que já estão dentro das dependências e não precisam usar”, explicou Wesley Siqueira, de 23 anos.

Em condomínios de Campo Grande regras são explícitas, mas uso da máscara é ignorado por alguns
Wesley Siqueira (Foto: Ranziel Oliveira / Jornal Midiamax)

Recentemente, o síndico foi questionado por uma moradora sobre o uso de ambientes coletivos, e mesmo assim, a situação não foi bem assimilada. “Esses dias a moradora me questionou sobre o porquê não podia usar o salão de festas. Eu falei que de acordo com o decreto ela precisaria de um plano de biossegurança, acabam não entendendo”

Segundo Siqueira, 9 pessoas já pegaram Covid-19 no seu condomínio, mas sem um respaldo mais forte a cobrança não tem feito. “A gente teve uma situação, a vigilância sanitária falou com a gente, falou para cobrar. Não temos respaldo legal para cobrar, faltou uma pressão por parte de decretos”, finalizou.

Veja também

As vagas podem ser preenchidas de forma online ou presencial

Últimas notícias