Cotidiano

'Ele nos escolheu': Cães resgatados em fazenda passaram de hóspedes para membros da família de voluntários

Animais eram usado em caças, vivendo em condições precárias e agora encontraram o conforto de um lar

Fábio Oruê Publicado em 13/06/2021, às 10h41

Babão e Duke foram resgatados em 2019
Babão e Duke foram resgatados em 2019 - Foto: Arquivo Pessoal

"Todos os dias vemos pessoas matando animais, torturando, obrigando eles a fazer algo contra sua vontade, e tudo que eles conseguem nos dar em troca é amor, lealdade, sorrisos": É dessa forma que pelo menos dois dos 40 cachorros resgatados de uma fazenda em 2019 estão retribuindo o carinho de seus novos donos.

Babão e Duke passaram de hóspedes em um lar temporário para membros das famílias de Cibelle e Jaqueline. "No início era só um lar temporário, mas o babão conquistou a todos, e entendeu que não queria mais voltar pra onde estava", disse Cibelle Balta, de 24 anos, ao Jornal Midiamax.

Babão quando foi resgatado e atualmente. (Foto: Arquivo pessoal)

Ela e o namorado chegaram a mudar de casa para poder receber o 'número 4 dos 40' (referente a ordem dos animais). "Nós dois morávamos em um sobrado com outro casal de protetores e não cabia um cão no local", contou Cibelle, que é voluntária da ONG Abrigo dos Bichos há dois anos. 

Segundo ela, no início era só uma ajuda temporária, mas o cão conquistou a todos e entendeu que não queria mais voltar pra onde estava. "Ele ficou agressivo com outras pessoas, não deixa ninguém chegar perto se não for eu ou o pai dele, por medo de levarem ele de volta para o que vivia antes", explicou a voluntária. 

O desejo de ajuda também levou Jaqueline Amazonas, de 34 anos, a se oferecer para ser um lar temporário para um dos cães resgatados. "Ele era muito medroso no começo. Mas aos poucos, com carinho, fomos mostrando a ele que a gente aqui de casa não era o mesmo tipo de 'ser humano' que ele tinha conhecido", disse Jaqueline à reportagem.

Com o tempo Duke foi confiando nos tutores e se tornou mais alegre e brincalhão. "O melhor amigo da minha filha de 4 anos. Brincam de pega-pega, parecem duas crianças", revelou a administradora.

Em cima os irmãos Duke e Luna e embaixo Babão e Vênus. (Fotos: Arquivo pessoal)

Irmãos de quatro patas

As semelhanças nas histórias não param por aí. Tanto Duke quanto Babão são os 'irmãos mais velhos' da Luna e da Vênus, respectivamente. E no coração das 'mamães' Cibelle e Jaqueline transborda de amor pelos pets.

"É muito satisfatório poder proporcionar uma vida nova, com mais amor e carinho. Nunca comprei 1 animal. Sempre adotei. E eles parecem que nos retribuem com tamanho amor e lealdade que é até difícil explicar", expressou Jaqueline.

Jaqueline, o marido, as crianças e o Duke. (Foto: Arquivo pessoal)

"Não existem palavras pra descrever, ter todos os dias a companhia de um ser que teve todos os motivos do mundo pra desistir, e seguiu acreditando na humanidade", completou Cibelle. 

Após 1 ano e 8 meses sob responsabilidade da Ong Abrigo dos Bichos, os 32 dos 40 cães de raça resgatados em uma fazenda na MS-040, após denúncia de maus tratos, puderam ser adotados porque a instituição ganhou na Justiça a guarda definitiva dos animais. Contudo, dois processos ainda estão em andamento para que a Ong seja ressarcida do valor gasto, que ultrapassa R$ 84 mil.

Animais viviam em condições precárias na fazenda. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo/ Midiamax)

Jornal Midiamax