Cotidiano

De cachorro a tartaruga, pessoas aproveitam dia de São Francisco para abençoar seus animais

Frei fala que cachorros e gatos são mais comuns, mas até mesmo uma égua já recebeu benção

Gabriel Neves Publicado em 04/10/2021, às 11h46

Animais recebendo benção em paróquia de Campo Grande
Animais recebendo benção em paróquia de Campo Grande - (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Nesta segunda-feira (4) é comemorado o dia de São Francisco de Assis, santo católico e padroeiro dos animais. Em Campo Grande, diversas famílias reservam um horário do dia para que seus animais recebam bênçãos e proteção, dadas em grande parte para cachorros, mas outros ‘bebês’ inusitados também aparecem.

Na Paróquia São Francisco de Assis está o Frei João Francisco Neto, que arruma um tempinho para falar com a reportagem entre uma benção e outra — pode não parecer, mas o movimento é grade no local. Ele revela que os principais animais levados a paróquia são cachorros e gatos, mas a lista não para por aí.

“Hoje mais cedo um rapaz pediu benção para a égua dele, na hora eu perguntei onde estava o animal, mas era uma foto no celular (a benção pode ser feita através de fotos). Depois uma mulher trouxe duas tartarugas em um aquário, ainda bem filhotes. Muitas pessoas trazem hamsters também, pode ser qualquer animal que daremos a benção”, brinca o Frei.

Frei João Francisco Neto passa a manhã em frente a paróquia recepcionando fiéis e dando benção. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Neto comenta que não possui um número exato, mas afirma que benze cerca de 200 a 300 animais no dia, “às vezes a família traz mais de um, já teve até cinco no carro, então são muitos”, disse. No local, o atendimento ocorre das 10h às 11h no período da manhã e das 16h às 17h no período da tarde.

Entre os muitos que passam pela paróquia neste dia 4 de outubro, está Mario Batista, 59 anos, aposentado e com seus dois cachorros, ele se diverte e passa o tempo entre conversas com o Frei e brincadeiras com os animais. Devoto, Mário garante que foi as bênçãos que curaram seu cachorro Nino.

“O Nino tinha muitos problemas de saúde, alguns problemas no coração, mas agora ele está saudável e gosta de brincar, nem parece que já tem onze anos”, afirma Mário enquanto caminha por um trajeto escolhidos pelos dois animais nas coleiras, o que explica as diversas voltas que o aposentado fazia no mesmo lugar.

“Nós (Mário e sua esposa) temos Francisco como grande amigo e intercessor dos animais. Eu trago os dois há quatro anos, uma das minhas filhas tem outros animais e também traz eles para receber a benção”, explica Mário.

Porque padroeiro dos animais?

O Frei explica rapidamente o porquê de São Francisco ser o padroeiro dos animais. “Ele sempre teve um carinho muito grande por todas as criaturas. Existe um fato, de um lobo muito feroz que invadia casas e atacava pessoas na cidade de Assis. Um dia Francisco entrou no mato para conversar com esse lobo”.

“Francisco conseguiu acalmar esse animal e fez um trato com os moradores da cidade, que eles iriam dar comida ao lobo e os ataques iam parar. Após isso, as famílias passaram a se revezar e cada uma levava comida para o animal em dias diferentes, com isso os ataques nunca mais aconteceram”, explica.

Jornal Midiamax