Contador de quadrilha, servidor simulou sua morte para tentar escapar da Justiça. Veja no Midiamax Diário

Tércio Moacir Brandino simulou sua morte em 2017 para escapar de outras denúncias; quadrilha da qual participaria movimentou R$ 78 milhões
| 12/08/2021
- 11:00
Contador de quadrilha, servidor simulou sua morte para tentar escapar da Justiça. Veja no Midiamax Diário
Edição impressa é distribuída gratuitamente em terminais de ônibus e em mais de 40 pontos da cidade - Reprodução

A edição desta quinta-feira (12) do conta parte da história de Tércio Moacir Brandino, servidor da Prefeitura de Campo Grande acusado de ser o contador da organização criminosa investigada na Operação Tríade — que teria entre as ações a lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, com bases de operações na fronteira.

Já preso durante a deflagração da operação, Tércio tentou fingir a própria morte em 2017, como forma de escapar de processos. Naquele momento, ele estava no Instituto Penal. Ele e uma faxineira foram alvos da operação porque teriam a guarda de R$ 50 milhões da quadrilha, conforme os investigadores.

A versão impressa do também traz reportagem sobre o avanço das mortes no trânsito de Campo Grande: em apenas 11 dias, 9 pessoas perderam a vida nas ruas, avenidas e rodovias da cidade. O número de acidentes também voltou a crescer conforme as medidas restritivas adotadas durante a pandemia foram flexibilizadas.

Outros destaques são a expectativa de arrecadação com a prorrogação do Refis em Campo Grande, a marca de 2,5 milhões de vacinas aplicadas nos municípios de na campanha contra a Covid-19 e a queda da mortalidade em razão da doença.

Distribuído gratuitamente nos terminais de ônibus e em mais de 40 pontos da periferia, o Midiamax Diário também pode ser conferido em sua versão virtual, disponível logo abaixo deste texto ou na banca virtual Issuu.

Veja também

Últimas notícias