Cotidiano

Com vacinação de profissionais da educação até quarta, SES quer retomar imunização de público geral

Estado aguarda definição do Ministério da Saúde para vacinar pessoas sem comorbidade de acordo com a faixa etária

Aplicação de vacina contra a Covid-19 no Estado segue o PNI.
Aplicação de vacina contra a Covid-19 no Estado segue o PNI. - Foto: Reprodução.

Enquanto aguarda o Ministério da Saúde responder às demandas de Mato Grosso do Sul, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) pediu para que os municípios intensifiquem e terminem a vacinação dos profissionais da educação. Assim, a Secretaria espera retomar a vacinação do público geral por faixa etárias já na próxima remessa de vacinas contra a Covid-19.

Na semana anterior, MS pediu para o Ministério autorizar a vacinação em pessoas sem comorbidades seguindo a faixa etária. “Enquanto isso não acontece, é preciso que sigamos o PNI (Plano Nacional de Imunização), então vamos vacinar todos dos grupos já listados”, disse o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende.

“Espero que todos os professores, seja a merendeira, o pessoal administrativo das escolas públicas municipais e estaduais, tanto quanto das escolas privadas, possam ser imunizados até essa próxima quarta-feira”, afirmou o secretário. De acordo com ele, a vacinação dos profissionais da educação deve ser finalizada nesta semana, para que novos públicos possam ser imunizados.

Assim, “poderemos iniciar a vacinação com as próximas remessas, levando em consideração as faixas etárias”, explicou. Resende destacou que existe uma comunicação direta com os secretários de saúde municipais.

“Nós estamos conversando com os secretários, queremos que a imunização esteja cada vez mais rápida”, disse. Ele também lembrou que novas doses da Coronavac foram enviadas para Campo Grande.

A Capital precisa de mais doses para finalizar a vacinação da segunda aplicação em pessoas com a imunização atrasada. “Como a taxa de aplicação na população indígena está muito lenta, estamos fazendo o remanejamento para Campo Grande”, explicou a origem das doses.

Jornal Midiamax