Cotidiano

Com lojas abertas até mais tarde, expectativa é que vendas da Black Friday aumentem até a noite

Movimento na 'Black' continua abaixo do esperado no centro de Campo Grande

Fábio Oruê Publicado em 26/11/2021, às 16h22

Lojas vão ficar abertas até mais tarde nesta sexta
Lojas vão ficar abertas até mais tarde nesta sexta - Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax

"Está longe do ideal": o sentimento do vendedor Celso Gama, na Eletrosom, é o mesmo compartilhado por vários lojistas no Centro de Campo Grande, na tarde desta sexta-feira (26) de Black Friday. Depois de baixo movimento na parte da manhã, a expectativa é que as vendas melhorem até a parte da noite. 

Por conta do evento, as lojas estenderam o horário de atendimento, pelo menos até às 20h. "Agora que vai começar para a gente. O pessoal já almoçou, está descansado. A gente espera que eles venham", disse o gerente da Móveis Gazin, Andrade Sales. Neste sexta, na loja, até às 14h30, as vendas já tinham batido 60% do total vendido na quinta-feira (25). 

Já para Celso, da Eletrosom, as venda estão abaixo do esperado, mas ainda sim a Black Friday tem atraído os consumidores. "Tem saído algumas coisas. Está longe do ideal,mas não está ruim", disse ele ao Jornal Midimax.

Do mesmo pensamento compartilha Jhennifer Menezes, líder da loja de roupas BLM. "Está entrando gente, está saindo roupa, está melhor que nos outros dias, mas para uma Black está bem fraco. Era para o povo nem conseguir andar nas calçadas", comentou ela com a reportagem. 

Segundo lojistas, movimento ainda era baixo. (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)

Para Andrade, as vendas na internet têm atrapalhado as promoções para em lojas físicas. "Quando você pode comprar sem sair de casa, quem vai sair? No interior o hábito é outro: as pessoas vão até as lojas, mas aqui na Capital tem esse problema", observou. 

Preços maiores que o esperado 

Mas não é só os lojistas que estavam com mais expectativas em relação a Black Friday. Consumidores relataram que também esperavam preços mais baixos. "Os preços estão quase no valor normal. As vezes coisa de 20 reais de diferença. Achei que estaria muito abaixo", disse a autônoma Aline Nere, de 25 anos. Ela escolheu comprar uma geladeira pela internet, mas também comprou um liquidificador quando esteve no centro nesta tarde. 

Já a pedagoga Valquíria de Paula, de 33, resolveu tentar a sorte nas lojas do centro e se decepcionou. "É tudo ilusão. Os preços não estão muito bons não. Vem ver o que compensa, mas está bem ruim", opinou ela. 

Vendas estão melhores que nos dias normais (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)
Jornal Midiamax