Cotidiano

Com exigência de passaporte de vacinação, famílias lotam praça em último evento do Reviva Natal

Patrulha Canina é atração na Praça Ary Coelho no encerramento

Dândara Genelhú e Ranziel Oliveira Publicado em 26/12/2021, às 17h24

Para garantir um lugar sentado, é preciso comprovar a vacinação contra Covid-19.
Para garantir um lugar sentado, é preciso comprovar a vacinação contra Covid-19. - Foto: Ranziel Oliveira | Midiamax.

Na praça Ary Coelho, os olhos miúdos buscam ansiosamente pelos personagens da Patrulha Canina. A praça é palco do show infantil que fecha a programação do Reviva Natal, na tarde do domingo (26). O evento reuniu famílias de todos os cantos da cidades para uma vivência cultural em novo endereço.

Neste ano, a Praça Ary Coelho substituiu a tradição dos Altos da Afonso Pena, onde fica a Cidade do natal - o local passará por trasnformação e terá estrutura fixa, mo lugar dos quiosques de madeira. Com isso, a Ary Coelho voltou a reinar em Campo Grande com a programação de Natal.

Mas o reinado chegou ao fim. O último evento gratuito do Reviva Natal, no domingo, já deixou gosto de saudade.  Com show infantil gratuito marcado para às 18h30, famílias já formavam uma fila extensa na Praça Ary Coelho em busca de ingressos para a apresentação da Patrulha Canina. A distribuição começou no finalzinho da tarde, em fila que começou no coreto da Ary Coelho e seguiu, pelo menos, até a saída da praça. A espera é para garantir um lugar sentado na 14 de Julho, com palco em frente à praça pública.

Os ingressos - vale lembrar - só foram entregues às famílias comprovavam a vacinação contra a Covid-19. Além disso, era necessário apresentar um documento oficial.

Pelas crianças

Marisson e a família aguardavam o show. Foto: Ranziel Oliveira.

Para o músico Marisson Oliveira, 34 anos, a espera é um pequeno fator visto o significado da ocasião. Pai de duas crianças, uma menina de 4 anos e um menino de 2, ele tenta “fazer o correto, uma mudança na vida”.

Acompanhado da esposa, Marisson se emociona ao lembrar que no passado optaria por uma programação para adultos. “Se fosse antigamente, estaria tomando cerveja”, disse.

Em um misto de felicidade e desânimo, ele lembra que quebra paradigmas com a filha por não ter vivido essas experiências quando criança. “Meu pai nunca me levou nem para parque e lugar nenhum. Levava para futebol e samba, estou tentando fazer diferente do meu pai”. Animada, a filha mais velha do casal disse estar ansiosa pelo passeio “porque sabia que tinha uma festinha da Sky — personagem do grupo infantil”.

Espera é recompensa

Nem mesmo a fila de espera e o desafio de cuidar de cinco crianças desanima a promotora de vendas Roselaine Alves, 35 anos. Ela levou as filhas, de 8 e 6 anos, um afilhado de 5 anos, o sobrinho de 10 e a sobrinha de 8. Para ela, este é “um momento de lazer e entretenimento das crianças, tendo em vista o momento difícil que passamos”. Ao Jornal Midiamax, ela destacou que a turma da Patrulha é amada pelas crianças.

Roselaine não se preocupou com a fila para garantir ingressos no local com cadeiras. Foto: Ranziel Oliveira.

“A minha filha já fez dois aniversários com esse tema — da Patrulha Canina. Desde o início que soube do encerramento com a Patrulha Canina, já tinha me programado”, disse animada e de olho nas crianças.

A diarista Meiriellen da Silva, 31 anos, estava acompanhada por duas crianças e dois adolescentes. O momento é de comemoração e carinho, já que ela passou o Natal sem as crianças, que ficaram com o pai nesta data. “Os meus filhos passaram o natal com o pai e hoje estão na minha casa, trouxe porque eles gostam bastante”.

Com um filho de 7 anos, uma filha de 8, um sobrinho de 12 e a sobrinha de 15, ela se animou ao pensar nas boas memórias que ficarão para eles. “Vão sempre lembrar que vieram e participaram, vão contar para outras pessoas”, concluiu.

Jornal Midiamax