CCZ realiza vacinação contra raiva em gatos e cachorros neste fim de semana em Anhanduí

Equipes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), irá deve continuar com a campanha de vacinação contra raiva em cães e gatos, neste fim de semana, no distrito de Anhanduí, a 60 quilômetros de Campo Grande. Conforme o cronograma, os agentes vão percorrer pelos bairros do distrito, de casa em casa, das 8h às 15h […]
| 08/01/2021
- 19:52
CCZ realiza vacinação contra raiva em gatos e cachorros neste fim de semana em Anhanduí
Cerca de 90 mil cachorros e 32 felinos foram vacinados. (Foto: Divulgação/PMCG) - Cerca de 90 mil cachorros e 32 felinos foram vacinados. (Foto: Divulgação/PMCG)

Equipes do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), irá deve continuar com a campanha de ção contra raiva em cães e gatos, neste fim de semana, no distrito de Anhanduí, a 60 quilômetros de Campo Grande.

Conforme o cronograma, os agentes vão percorrer pelos bairros do distrito, de casa em casa, das 8h às 15h de sábado (9) e domingo (10). Durante a visita, é essencial o acompanhamento dos tutores, para que o animal fique mais confortável para receber a vacina.

Os servidores estarão uniformizados, com identificação e, por conta da pandemia, usando EPI (Equipamento de Individual). Todos os agentes passaram por testagem da doença na semana passada.

Caso o tutor não esteja em casa no momento em que a equipe estiver no bairro, será deixado um comunicado para que o tutor leve o animal ao CCZ para a aplicação da vacina antirrábica. O horário de funcionamento do órgão para vacinação é de segunda a sexta-feira, de 7 às 21 horas. Aos sábados, domingos e feriados, de 6 às 22 horas.

Campanha
De agosto a dezembro do ano passado, cerca de 90 mil cachorros e 32 felinos foram vacinados, o que corresponde a 80% da meta estimada para Capital. O trabalho segue pelos próximos meses atendendo bairros da região Bandeira, Prosa e Central, além da zona rural do município.

O último caso de raiva humana no município foi registrado em 1968. Já em cães e gatos, o último caso ocorreu em 2001, quando o cão adquiriu a doença por meio do contato com um morcego contaminado com o vírus. Porém, o vírus segue em circulação, principalmente em morcegos contaminados que constantemente são capturados e encaminhados ao CCZ. Para manter a situação sob controle é preciso que pelo menos 80% dos cães e gatos sejam vacinados.

Veja também

O número total de resgates é um pouco inferior ao mesmo período do ano de 2021, que foi 1.348

Últimas notícias