Cotidiano

Campo Grande só vacinará adolescentes quando toda população acima de 18 anos receber 1ª dose

Ministério da Saúde anunciou que adolescentes poderão se vacinar

Mariane Chianezi Publicado em 28/07/2021, às 16h18

None
De arquivo, Midiamax

Após o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciar nesta terça-feira (27) que adolescentes de 12 a 17 anos serão incluídos no PNI(Plano Nacional de Imunização) contra a Covid-19, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que este público será vacinado após todos os moradores acima de 18 anos estarem vacinados. 

Conforme explicou a Sesau, a recomendação do Ministério da Saúde é que a vacinação de adolescentes poderá ser realizada assim que toda a população adulta, ou seja, maior de 18 anos for vacinada com ao menos uma dose de vacina.

"Desta forma, o município deve concluir o atendimento aos públicos prioritários e avançar por faixa etária. A vacinação parou em pessoas com 33 anos ou mais", disse a secretaria. Vale lembrar que o Município já vacinou os adolescentes com comorbidades de 12 a 17 anos.

A SES (Secretaria Estadual de Saúde), disse que vai aguardar as definições do PNI.

Vacinação de adolescentes pode acontecer em agosto

Adolescentes de 12 a 17 anos sem comorbidades podem começar a ser vacinados já em agosto em Mato Grosso do Sul. Isso porque o Ministério da Saúde autorizou, nesta quarta-feira (28), que esse grupo possa receber as doses assim que toda a população de 18 anos ou mais tiver recebido ao menos uma dose do imunizante. Assim como para os adultos, a prioridade será para aqueles que possuem comorbidades. 

O pedido foi entregue em mãos ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante visita ao Estado no último dia 16 de julho, pelo Cosems (Conselho de Secretários Municipais de Saúde de MS).

“Como MS está avançado na imunização, provavelmente, em agosto ou setembro os adolescentes sem comorbidades já começam a ser vacinados”, pontuou o presidente do Conselho, Rogério Leite.

“Muitas cidades do Estado já vacinaram todos com mais de 18 anos, ao menos com a primeira dose, como é o caso dos 13 municípios de fronteiras que fazem parte do estudo, e há municípios pequenos que também aguardam somente as segundas doses para finalizar a imunização de pessoas com mais de 18 anos”, complementa Rogério.

O documento foi assinado pelo Ministro, Marcelo Queiroga, pelo Conasems (Conselho de Secretários Municipais de Saúde) e Conass (Conselho de Secretários Estaduais de Saúde).

Jornal Midiamax