Cotidiano

Campo Grande não tem nem previsão de repescagem para quem perdeu data da vacina, avisa Sesau

Orientação é que cidadão que perdeu a data aguarde a sua vez no calendário por faixa etária

Gabriel Maymone Publicado em 18/06/2021, às 11h11

Guanandizão é um dos polos de vacinação em Campo Grande
Guanandizão é um dos polos de vacinação em Campo Grande - Henrique Arakaki / Midiamax

Quem perdeu a vacinação em Campo Grande vai ter que esperar chegar a vez de acordo com a faixa etária. Isso porque a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) não tem previsão para abrir repescagem para aplicar a 1ª dose em quem perdeu o prazo.

Assim, a orientação do município é que a pessoa que perdeu a data para vacinação aguarde uma repescagem ou a chegada da vacinação por faixa etária.

O calendário de vacinação de Campo Grande abrange públicos por faixa etárias. Dessa forma, quem faz parte de algum grupo prioritário pode se vacinar conforme a imunização por idade avança. Por exemplo, quem possui comorbidade, tem 54 anos e perdeu o calendário para esse público, pode se vacinar já por faixa etária, uma vez que o município está aplicando a 1ª dose em todos a partir de 49 anos.

Conforme a Sesau, a destinação das doses é definida pelo CIB (Comitê Intergestor Bipartite) e já vem estipulado na distribuição das doses por municípios. Além disso, a orientação do Ministério da Saúde é avançar o máximo nos próximos públicos. Então, sem ter como estimar quantas pessoas, eventualmente, perderam a vacinação, a baixa quantidade de doses recebidas por remessa não permite que a Sesau promova repescagens constantes.

É o caso de uma mulher de 62 anos que relatou ter perdido o prazo para tomar a vacina, pois estava internada em hospital. Com a abertura das novas faixas estárias por idade, foi possível aplicar a 1ª dose.

Há relatos de cidadãos que estavam com covid no dia da vacina e não pouderam comparecer. A Sesau esclarece que quando abre um calendário, são vários dias para a pessoa comparecer, mas se, mesmo assim, não foi possível, a orientação é aguardar chegar a vez por idade.

Para os grupos prioritários estabelecidos pelo PNI (Plano Nacional de Imunização), o avanço é por idade e vários grupos ainda estão em aberto, ou seja, ainda poderão imunizar pessoas que haviam perdido o prazo como é o caso dos trabalhadores industriais, que o município vacinou até aqueles a partir de 30 anos. Com a chegada de mais doses, haverá avanço neste grupo e mesmo os que deveriam ter sido vacinados anteriormente poderão receber a 1ª dose do imunizante.

A possibilidade de uma nova repescagem está condicionada, segundo a Sesau, a chegada de quantidade considerável de doses. Nesse caso, uma avaliação dos técnicos do município pode definir pela repescagem geral, mas essa hipótese é pouco provável, uma vez que há avanço na vacinação por faixa etária.

A expectativa é que até setembro, de 70% a 80% da população de Mato Grosso do Sul esteja vacinada. Até a manhã desta sexta-feira (18), 336.220 pessoas já haviam sido vacinadas com a 1ª dose em Campo Grande, que representa 37,11% da população da Capital, índice acima da média estadual.  Desses, 137.652 já receberam a dose de reforço e são considerados imunizados após 15 dias.

Jornal Midiamax