Cotidiano

Pesquisa lista pontos de vulnerabilidade para covid-19 de Campo Grande

No sistema de pontuação criado pelo Instituto Votorantim, Capital registra cenário pior que Cuiabá e Goiânia

Lucas Mamédio Publicado em 21/09/2021, às 08h03

None
(Foto: Arquivo/Midiamax)

Dentre as capitais do Centro-Oeste, com exceção do Distrito Federal, Campo Grande tem a maior pontuação no Índice de Vulnerabilidade do Município (IVM), plataforma criada pelo Instituto Votorantim para aferir a vulnerabilidade dos municípios em relação à Covid. Quanto maior a pontuação, mais vulnerável é o município. Confira aqui lista da classificação das cidades de Mato Grosso do Sul no mesmo levantamento. 

Segundo o IVM, a capital sul-mato-grossense registra 49,17 pontos, enquanto Cuiabá (MT) marca 38,22 e Goiânia (GO) fica em 38,88.

O IVM é composto por 14 indicadores distribuídos em seis pilares temáticos que abrangem dados relacionados à: população vulnerável, economia local, estrutura do sistema de saúde, organização do sistema de saúde, capacidade fiscal, administração pública e capacidade municipal de resposta à crise da Covid. Para cada indicador e pilar temático, foram atribuídos pesos de acordo com sua relevância no contexto da pandemia.

Cada pilar também recebe uma pontuação específica, o que torna possível a estratificação dos dados. Campo Grande não tem a menor pontuação entre as três cidades em nenhum dos seis pilares, registrando a mais baixa em “capacidade municipal de resposta à crise da Covid”, que tem pontuação de 37,2 contra 43,18 de Cuiabá e 35,63 de Goiânia.

A segunda maior pontuação em Campo Grande é no pilar “população vulnerável” que chega a 53,81, mais alta que os 40,94 pontos de Cuiabá e 47,63 de Goiânia.

Confira a comparação:

Entre os itens deste pilar estão a proporção de população idosa, proporção da população inscrita no Cadastro Único e internações por doenças sensíveis ao coronavírus por mil habitantes. O item que mais contribui negativamente é da população inscrita no CAD, que é de 35,33.

Já a maior pontuação, portanto onde apresenta mais vulnerabilidade, é no pilar “organização do sistema de saúde”, com 54,53 pontos. O item desse pilar que atingiu  maior pontuação é o de proporção da população dependente do sistema público de saúde, com 72,42 pontos.

Mesmo sendo a mais vulnerável entre as três capitais, Campo Grande não apresenta os piores números no caso de contágio e óbitos. Ficando atrás de Cuiabá em casos confirmados por mil habitantes, de 150,37 contra 177,19 da capital mato-grossense e também na quantidade de óbitos por mil habitantes, 4,027 mortes contra 6,471 de Goiânia.

Jornal Midiamax