Cotidiano

Associação dos defensores públicos lança campanha contra racismo em MS

Evento virtual de lançamento da campanha nacional acontece na próxima segunda-feira (17)

Mariane Chianezi Publicado em 13/05/2021, às 17h59

None
Divulgação

A ADEP-MS (Associação das Defensoras e Defensores Públicos de Mato Grosso do Sul) , por meio da Anadep (Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos), lançaram campanha contra racismo e no dia 17 de maio realizará evento virtual para debater sobre o tema. 

A campanha “Racismo se combate em todo lugar: Defensoras e Defensores Públicos pela equidade racial”, tem a iniciativa de fomentar a necessidade de equidade étnico-racial no acesso a direitos e às políticas públicas de pessoas indígenas, negras, quilombolas e povos tradicionais e quer provocar a sociedade, o Estado e a imprensa para que o antirracismo seja uma luta de todas e todos por meio da educação em direitos.

Na próxima segunda-feira (17), a partir das 19h, no YouTube da Anadep, clicando aqui, acontecerá o lançamento oficial da campanha. A live contará com a participação da presidenta da associação, Rivana Ricarte; da presidenta do Condege, Maria José de Nápolis; da coordenadora da Comissão Temática da Igualdade Étnico-Racial da Anadep, Clarissa Verena, dentre outros participantes.

O lançamento faz parte da programação do webinário "#DefensoriaemPauta: desafios para o acesso à justiça" que visa celebrar o dia alusivo à Defensoria Pública, à defensora pública e ao defensor público, comemorado no dia 19 de maio. 

Para Ilton Aparecido de Assis, Defensor Público Estadual aposentado e associado da Adep-MS, a discriminação é um problema cultural que o Brasil ainda não conseguiu se desvencilhar. “É um fator que ainda está enraizado na cultura do povo brasileiro e enquanto os responsáveis pela administração do país, dos estados e municípios não adotarem a postura de incluir nas grades escolares, desde a primeira infância, o ensinamento de respeito a essas consideradas desigualdades, para que as gerações futuras conheçam isso apenas na história, o combate a esse mal não surtirá nenhum efeito”, comenta.

De acordo com o Defensor Público, o indivíduo deve lutar sempre e liderar lutas, convencendo mais pessoas da necessidade de busca por um mundo mais humanizado. Cabe também as empresas e instituições o trabalho no âmbito da educação do povo com intuito de afugentar o mal disseminado com a discriminação racial, pois, o compromisso empresarial e das instituições é extremamente relevante para a modificação do comportamento humano.

Jornal Midiamax