Cotidiano

Agente de saúde vê maus-tratos a idosos e pede socorro por carta em Campo Grande

Segundo relatório registrado em boletim de ocorrência, idosos vivem em sujeira

Dayene Paz Publicado em 25/06/2021, às 11h43

None
Caso foi registrado na delegacia de polícia - Imagem: Divulgação

Diante de uma situação insalubre e de maus-tratos a um casal de idosos, agente de saúde em Campo Grande enviou um relatório ao Poder Público - também registrado em boletim de ocorrência -, pedindo socorro para que as autoridades tirem o casal do local. Além de agressões morais e físicas, os idosos de 71 e 77 anos vivem em ambiente "fético", diz o relatório. Eles ainda seriam furtados pelo próprio filho de 34 anos, usuário de drogas.

O Ministério Público já tem conhecimento da denúncia e, junto à polícia, orientou que o relatório fosse registrado em boletim de ocorrência nesta quinta-feira (24). Inclusive, conforme o registro, há outros boletins relatando a situação vivida pelo casal.

De acordo com o boletim de ocorrência, o casal vem sofrendo maus-tratos há muitos anos pelo filho, que também é usuário de drogas. Para sustentar o vício das drogas e bebidas alcoólicas, ele se apossa da aposentadoria dos pais, que para comer contam com doações dos moradores da região. A residência, além de ser conhecida como uma boca de fumo, é rodeada de "muita sujeira e forte odor de fezes, pois os mesmos fazem necessidade por toda parte, totalmente inóspito para uma pessoa normal", descreve o relatório.

Além disso, os idosos tem objetos furtados constantemente para serem trocados por drogas. Ainda, de acordo com o relato, no início do ano de 2020 o filho levou uma mulher - também usuária de drogas -, e duas crianças pequenas para a casa. Desde então, moradores relatam que as crianças são obrigadas a irem até o supermercado e cometerem pequenos furtos.

Diante do cenário, a agente de saúde fez um relatório com pedido de socorro para autoridades competentes "para que levem as vítimas a um lugar seguro, casa abrigo ou asilo, proporcionando dignidade, segurança e respeito ao idoso, pois as agressões por parte do autor estão se intensificando a cada dia". A agente termina seu relatório pedindo uma medida do Estado "ou será tarde demais".

Jornal Midiamax