5G será uma revolução para os jogos; o que é exatamente essa quinta geração?

| 13/07/2021
- 18:51
5G será uma revolução para os jogos; o que é exatamente essa quinta geração?
Fonte: Pixabay

Existe um setor na área do entretenimento que está vibrando com a chegada da rede 5G. Trata-se do setor dos games. Essa será uma chegada comemorada, já que os jogos sempre conseguem implementar os avanços nas tecnologias de forma rápida e com os avanços que são introduzidos.

Com o aumento da velocidade de transferência de dados, menos latência e uma cobertura mais ampla, os eSports e até mesmo o caça-níquel online serão beneficiados, já que os jogos de cassino em geral não utilizam tanto dos gráficos ou efeitos especiais como outros jogos, mas seu desenvolvimento e a experiência de jogar com outras pessoas em uma mesa – em um jogo de cartas, por exemplo – será impulsionada pela tecnologia.

Calcula-se que hoje, no Brasil, sejam mais de 70 milhões de jogadores e nosso mercado se torna cada dia mais exigente em relação aos equipamentos e também com a qualidade da conexão.

Não podemos nos esquecer que, principalmente no setor dos eSports, jogar acabou se tornando em muitos casos um esporte profissional com campeonatos valendo verdadeiras fortunas em prêmios. No Brasil, existem importantes equipes de gamers profissionais patrocinados por grandes empresas e clubes de futebol.

O que é exatamente o 5G

A tecnologia 5G, também denominada de quinta geração, foca na transferência de dados. É a nova geração da móvel que está chegando. É uma tecnologia que tem a capacidade de transformar profundamente a produtividade de grande parcela da economia. 

Ela propicia aos dispositivos móveis além da rapidez, uma cobertura bem mais ampla e eficiente do que o atual 4G. Com o significativo aumento da velocidade de conexão e de transmissão de dados, os jogos eletrônicos serão extremamente beneficiados.

Suas características tornam o 5G uma tecnologia que poderá ser utilizada em múltiplos mercados, desde a energia, novas tecnologias na agricultura, transportes, telemedicina, mobilidade urbana, dentre outros.

Uma das grandes vantagens dessa tecnologia é a baixa latência. Isso significa o tempo entre upload e download de um dado. Ele estará na faixa de 1 milissegundo. Se formos comparar com a tecnologia atual do 4G a latência está entre 45 e 50 milissegundos.

Uma série de países já implantou ou está em vias de implantar essa tecnologia, como China, Estados Unidos, Japão, Reino Unido, Alemanha, Itália, Uruguai, Canadá e outros. A foi o primeiro país a implementar a tecnologia 5G.

As operadoras de telefonia móvel já oferecem a rede 5G no Brasil, porém ela só está disponível no momento em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Porto Alegre. Atualmente, elas estão utilizando a tecnologia DSS, ou seja, a infraestrutura do 4G já existente, mas isso deve mudar futuramente. 

A tecnologia DSS (Dynamic Spectrum Sharing), que está sendo utilizada pelas operadoras nacionais, permite que sejam compartilhados diferentes padrões, como o 3G, 4G e 5G na mesma frequência.

O 5G verdadeiro entrega velocidades bastante superiores ao 5G DSS que vem sendo usado no Brasil. Mas nem todos os celulares são compatíveis com a tecnologia 5G. A Motorola lançou alguns modelos no ano passado e outras empresas seguiram seus passos. Atualmente, existe uma boa variedade no mercado nacional de aparelhos compatíveis com essa nova tecnologia.

O governo federal deverá anunciar o leilão das frequências ainda este ano. Depois que a Huawei, empresa chinesa, foi barrada nos Estados Unidos na época do governo de Donald Trump por suspeita de espionagem, o governo brasileiro acabou criando barreiras também em nosso país.

Agora sem mais esses e outros obstáculos a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) deve concluir a consulta pública e posteriormente definir o edital para que as empresas interessadas possam se inscrever na disputa. A previsão é que o leilão das frequências 5G deverá ocorrer no segundo semestre deste ano de 2021.

Segurança da 5G

A tecnologia 5G é na verdade um enorme avanço tecnológico e isso desperta a curiosidade dos hackers. Medidas extras de segurança devem ser tomadas porque o risco de invasões e vazamento de dados se torna maior. Afinal, teremos um volume muito superior de aparelhos conectados à rede em relação ao que era normalmente e isso pode aumentar a chance de ataques dos cibercriminosos.

As grandes empresas que trabalham com segurança da informação precisam estar aptas a combater esse tipo de crime e devem trazer soluções para evitar que o maior compartilhamento e compreensão de informações e dados não seja um problema por causar a maior exposição não só de pessoas, mas de instituições e governos.

Veja também

Últimas notícias