Cotidiano

Sindicato pede máscaras para frentistas contra o coronavírus

Com o risco da possível contaminação de frentistas e demais empregados de postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul com o coronavirus, o Covid-19, o Sinpospetro-MS divulga recomendações aos profissionais, para evitar o contágio. O sindicato solicita aos empresários o cumprimento das normas (NR-95) que determina a obrigatoriedade da empresa de fornecer, entre outras […]

Diego Alves Publicado em 19/03/2020, às 20h19 - Atualizado em 20/03/2020, às 08h06

Divulgação
Divulgação - Divulgação

Com o risco da possível contaminação de frentistas e demais empregados de postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul com o coronavirus, o Covid-19, o Sinpospetro-MS divulga recomendações aos profissionais, para evitar o contágio.

O sindicato solicita aos empresários o cumprimento das normas (NR-95) que determina a obrigatoriedade da empresa de fornecer, entre outras coisas, as máscaras adequadas para os empregados e que serviriam tanto contra o vírus como também para a inalação de gases tóxicos.

De acordo com informações do diretor Sinpospetro-MS, Gilson da Silva Sá, que esteve reunido com a diretoria da Fetracom (Federação dos Trabalhadores no Comércio de Mato Grosso do Sul), entre eles o sindicalista Estevão Rocha, Diretor Financeiro da federação, tratando da preocupação geral com o COVID-19, a entidade reforça as orientações de que os funcionários de postos e do comércio em geral,  devem evitar cumprimentar clientes pegando na mão, inclusive nas mãos dos próprios colegas;

Manter distância de um metro e meio das pessoas, inclusive clientes. Recomenda também que depois do contato com as chaves, cartões de crédito e dinheiro, que são fontes de transmissão do vírus, o empregado deve desinfetar as mãos com álcool em gel 70%.

O perito em proteção respiratória Albertoni Júnior faz outras recomendações específicas como:

– Tenham atenção com a proteção respiratória. PFF2 ou N95, ambas não usem com válvulas. As válvulas não controlam a saída de partículas e pode haver a contaminação de pessoa próxima. E proibido válvula em ambiente estéril.

– Máscara cirúrgica não foi testada para o fim de proteção relacionada com o nível médio aerodinâmico do agente biológico em questão, no caso a unidade de medida é µm. Considerando o tamanho das partículas e os testes de vedação, devem utilizar PFF2 ou N95. Também aprendam a moldar e testar a vedação no rosto de vocês e na família.

O presidente do Sinpospetro-MS, José Hélio da Silva disse que o país e o mundo estão atravessando um momento muito delicado de sua história e que todo o cuidado deve ser empregado até passarmos por essa fase mais difícil e crítica da proliferação do vírus COVID-19. Ele não tem dúvida de que essa fase passará logo e isso vai depender muito dos cuidados que cada um adotar a partir de agora. (Informações da assessoria)

Jornal Midiamax